Tamanho do texto

CHICAGO (Reuters) - A American Airlines operou aviões que foram considerados posteriormente com reparos abaixo do padrão, e reguladores federais estão investigando acusações de que ao menos uma aeronave era considerada insegura para voar na altitude normal, disse o jornal Wall Street Journal neste sábado. O jornal, citando pessoas próximas à questão, disse que as recentes ações da Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA, na sigla em inglês) indicam que a agência está expandindo sua investigação sobre possíveis problemas estruturais em alguns jatos MD-80 da American, de acordo com o jornal.

Inspetores da FAA estão averiguando alegações feitas por pilotos de que um dos jatos MD-80 estaria em condições tão precárias que teria sido transportado sem passageiros de Dallas para Tulsa, base de manutenção em Oklahoma, em altitude irregularmente baixa para evitar a pressurização da fuselagem durante a viagem, informou o jornal.

Descobertas preliminares da FAA identificaram que 16 jatos MD-80 da American Airlines operaram por meses apesar de reparos supostamente abaixo do padrão.

Investigadores da agência estão avaliando se outras aeronaves MD-80 também podem ter sido transportadas em altitudes baixas e sem passageiros para reparos, acrescentou o Wall Street Journal.

Pessoas familiarizadas com a situação disseram que a companhia aérea potencialmente enfrenta milhões de dólares em multas civis decorrentes da ampla investigação, e a FAA também considera a política incomum de adotar medidas de punição individuais contra mecânicos ou supervisores, que possam ter compactuado com a manutenção abaixo do padrão.

Uma porta-voz da FAA disse que não comentaria detalhes da história. "Há uma investigação e seria prematuro falar sobre quaisquer resultados disso", afirmou Laura Brown, porta-voz da FAA.

O porta-voz da American Airlines não estava imediatamente disponível para comentar o assunto.

(Reportagem de Brad Dorfman)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.