Tamanho do texto

SÃO PAULO - A diminuição da aversão a risco nos mercados nesta quinta-feira, dada pela ausência de notícias pessimistas na Europa e por indicadores melhores da economia americana, favoreceu o desempenho das bolsas mundiais. A trajetória brasileira não foi diferente. Com alta ao longo de todo pregão, o Ibovespa, que atingiu máxima de 68.

012 pontos, subiu 1,98%, aos 67.978 pontos. O giro financeiro correspondeu a R$ 5,503 bilhões. Na semana, o índice acumula baixa de 2,20% e, no mês, queda de 3,4%. Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones encerrou a jornada com alta de 1,10%, aos 11.167 pontos, enquanto o S & P 500 avançou 1,29%, aos 1.207 pontos, e o Nasdaq apresentou valorização de 1,63%, aos 2.512 pontos. Balanços corporativos americanos, entre os quais da Motorola, concentraram as atenções dos agentes. Superando suas próprias projeções, a Motorola acumulou lucro de US$ 69 milhões, ou US$ 0,03 por ação, nos três meses até o dia 3 de abril. O resultado representou uma reversão do prejuízo de US$ 231 milhões, ou US$ 0,13 por ação, verificado no mesmo período do ano passado. Em suas projeções, a Motorola previa um prejuízo de US$ 0,01 a US$ 0,03 por ação no trimestre. A compra da Palm pela fabricante de computadores e impressoras Hewlett-Packard (HP) também causou uma boa reação no mercado. O negócio foi fechado por cerca de US$ 1 bilhão em dinheiro e o valor atinge US$ 1,2 bilhão quando incluídas as dívidas da Palm. Entre os indicadores, o Departamento do Trabalho americano revelou que os novos pedidos de seguro-desemprego no país totalizaram 448 mil na semana encerrada no dia 24, ou 11 mil a menos no comparativo com a marca da semana retrasada (459 mil). "O mercado estressou muito no curto prazo pelas notícias que apareceram e existe um espaço para recuperação. Hoje, a bolsa teve uma correção. Amanhã, temos a divulgação do PIB americano e o mercado pode estar querendo precificar alguma melhora do resultado", comentou o gestor de renda variável da Máxima Asset, Felipe Casotti. No ambiente corporativo nacional, apenas 10 ações do Ibovespa encerraram a jornada em baixa, com destaque para Telemar. Enquanto os papéis ON caíram 3,22%, a R$ 30, os PN cederam 1,56%, a R$ 25,1. Além disso, as ações PN da Klabin perderam 1,28%, a R$ 5,38. Já entre as maiores altas figuraram os papéis ON da Duratex, com valorização de 5,94%, a R$ 16,05, as ações PNB da Cesp, com ganhos de 5,09%, a R$ 25,6, e PDG Realty ON, com apreciação de 4,39%, a R$ 15,45. Além disso, os papéis PN da Petrobras subiram 1,94%, a R$ 33,02, enquanto as ações PNA da Vale avançaram 3,34%, a R$ 47,85. Fora do Ibovespa, os papéis ON da Redecard, que divulga o balanço amanhã, antes da abertura do mercado, subiram 3,5%, para R$ 29,55. Já as units do Santander Brasil se apreciaram em 4,03%, a R$ 19,61. O banco marcou lucro líquido de R$ 1,763 bilhão nos três meses terminados em março, duas vezes mais do que o ganho apurado um ano antes, de R$ 832 milhões. Nesta sexta-feira, ainda serão revelados os resultados trimestrais da Gafisa. No cenário externo, saem os balanços da Avon e das petroleiras Chevron e Total. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.