Tamanho do texto

RIO - O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apresentará na próxima terça-feira, em São José dos Campos, os dados sobre o desmatamento da Amazônia em maio. A novidade, segundo o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, é que os dados virão mais detalhados, diferenciando o corte raso - fruto de ação predatória - da degradação progressiva.

O dado que vai ser divulgado será de melhor qualidade, porque vai ser desagregado. Isso atende a um pedido nosso para melhorar a eficácia da fiscalização, disse Minc, lembrando que a apresentação dos dados desagregados era uma exigência também dos governadores, que criticavam o sistema que unia corte raso e degradação progressiva.

A divulgação das informações coletadas pelo Inpe a partir da coleta de dados pelo sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) estava atrasado por determinação da Casa Civil. Minc já havia explicado, na semana passada, que o objetivo do atraso na divulgação era buscar um modelo diferente de apresentação.

Segundo ele, o próprio Ministério do Meio Ambiente pediu ao Inpe para desagregar os dados. Minc voltou a afirmar que os dados que serão apresentados na terça-feira vão mostrar queda no desmatamento, tanto em relação a abril, quanto na comparação com maio do ano passado.

Como, de qualquer maneira (o desmatamento) é alto, o resultado não nos anima e apenas nos estimula a intensificar o embate ao desmatamento, frisou o ministro.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.