Tamanho do texto

Indicador utilizado como base para reajuste de algumas tarifas públicas teve deflação de 0,22% em junho, segundo FGV

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) teve deflação de 0,22% em junho, após alta de 0,55% em maio,  segundo informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira. Esse é o menor resultado mensal em um ano e meio, quando,e m dezembro de 2009, o indicador teve deflação de 0,07%. No ano o indicador acumula alta de 3,28%. Em doze meses, a inflação medida está em 8,78%.

Entre os índices utilizados no cálculo do indicador, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) recuou 0,69%, contra 0,26% antes. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,10%, frente a 0,98% no mês anterior. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) teve elevação de 2,18%, ante 1,57%.

O Índice Geral de Preços 10 (IGP-10) é uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP). Elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o indicador mede a variação de preços de produtos como as matérias-primas agrícolas e industriais e até bens e serviços finais. O IGP-10 mede a evolução de preços entre o dia 11 do mês anterior e o dia 10 do mês atual.

O índice é composto é por 60% do Índice de Preços por Atacado-10 (IPA-10), 30% do Índice de Preços ao Consumidor-10 (IPC-10) e 10% do Índice Nacional de Custos da Construção-10 (INCC-10). Esses indicadores medem itens como bens de consumo, como alimentos,) e bens de produção , como materiais de construção.

O IGP-10 mede a inflação de todas as camadas da população, sem restrição de nível de renda. Esse indicador é utilizado como referência nos reajustes de algumas tarifas públicas, contratos de aluguel e planos e seguros de saúde, em contratos mais antigos.