Tamanho do texto

IPC-S teve variação negativa de 0,19% na segunda prévia de agosto, segundo a Fundação Getúlio Vargas

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) registrou deflação pela oitava semana seguida, refletindo a continuidade da queda dos custos de alimentos, embora em ritmo menor, e de vestuário, e menores altas em uma série de outros grupos.

O indicador caiu 0,19% na segunda prévia de agosto, após queda de 0,18% na primeira, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira.

O grupo que mais contribuiu para a queda foi Habitação, com alta de 0,20% nesta leitura, ante 0,27% na anterior, devido ao arrefecimento da alta da tarifa de energia elétrica.

"Os itens cigarro, creme dental, passagem aérea e roupas femininas contribuíram destacadamente para decréscimo das taxas dos seguintes grupos: Despesas Diversas (de alta de 0,91% na primeira prévia para 0,73% na segunda), Saúde e cuidados pessoais (de 0,49% para 0,35%), Educação, leitura e recreação (de alta de 0,02% para queda de 0,10%) e Vestuário (de queda de 0,87% para baixa de 0,90%)", disse a FGV em nota.

Os preços de Alimentação declinaram 1,09% nesta leitura, ante baixa de 1,20% na anterior. A diminuição da queda deveu-se às pressões de carnes bovinas e laticínios.

As principais quedas individuais de preços na segunda prévia do mês foram de batata-inglesa, mamão papaia, tomate, cebola e leite longa vida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.