Tamanho do texto

A indústria de bens de consumo duráveis (televisão, geladeira, carros) puxou o desempenho da produção industrial em janeiro de 2010. No geral, a indústria cresceu 1,1% frente ao mês anterior, descontados os efeitos temporais. Neste desempenho, a indústria de bens de consumo duráveis cresceu 8,6%. Os dados foram divulgados nesta quinta pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O dado ruim veio da indústria de bens de capital (máquinas), que sinaliza o desempenho dos investimentos. O setor registrou uma queda de 0,1% em janeiro ante dezembro de 2009. O resultado interrompe uma trajetória de nove meses seguidos de crescimento para esta categoria, em base mensal. Na comparação com janeiro do ano passado, a produção de bens de capital aumentou 12,8%.

Já as demais categorias de uso pesquisadas pelo IBGE registraram resultados positivos ante dezembro e na comparação com janeiro de 2008: bens intermediários (componentes de televisão, açúcar usado nas balas) tiveram altas de 2,0% e 20,2%, respectivamente; e bens de consumo semi e não duráveis (alimentos), de 0,4% e 5,8%. 

Setores

Dentro das categorias da indústria, os desempenhos mais importantes vieram de produtos de metal (12,0%), material eletrônico e de comunicações (14,3%) e bebidas (8,1%).

Desempenho sobre janeiro 

Na comparação com janeiro de 2009, a indústria registrou 16% de expansão. Para o IBGE, o resultado foi reflexo sobretudo da baixa base de comparação decorrente dos efeitos da crise econômica internacional.

Além disso, apesar do crescimento, o resultado da indústria permaneceu negativo em 5,0% no acumulado dos últimos 12 meses, mas reduzindo o ritmo de queda frente ao fechamento de 2008 - queda de 7,4%.

(* Com Agência Estado)

Leia mais sobre : indústria

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.