Tamanho do texto

Inflação nos 17 países da região foi a menor taxa anual desde fevereiro, mas declínio pode não se sustentar

selo

A taxa anual de inflação nos 17 países da zona do euro caiu em julho, na medida em que os varejistas reduziram os preços das roupas de verão, embora tenha permanecido acima da meta do Banco Central Europeu (BCE). A Eurostat, agência oficial de estatísticas da União Europeia, divulgou que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) caiu 0,6% em julho na comparação com junho, mas estava 2,5% acima do índice de julho do ano passado.

Os dados ficaram em linha com as expectativas e com a estimativa preliminar da Eurostat para a taxa anual de inflação, e abaixo da taxa de 2,7% registrada em junho.

Os preços ao consumidor costumam cair em julho, quando os varejistas procuram limpar seus estoques de verão oferecendo generosos descontos. Os dados da Eurostat evidenciaram esse comportamento, ao mostrar que os preços do vestuário despencaram 14,2% em relação a junho. Em grande parte como resultado dos descontos, os preços de bens fora dos setores de energia, alimentos, álcool e tabaco - medida conhecida como núcleo da inflação - caíram 1% na comparação com junho, deixando a taxa anual com alta de 1,2%, abaixo do 1,6% registrado no mês anterior.

Foi a menor taxa anual de inflação desde fevereiro, mas o declínio pode não se sustentar. Depois do período de descontos de verão, seguidos aumentos nos preços de energia podem fazer a inflação anual subir de novo por um breve período.

Porém, com a economia da zona do euro em forte desaceleração e os preços das commodities no atacado em queda por causa do desaquecimento da economia global, a taxa anual de inflação deve cair na direção da meta do BCE, de pouco menos de 2%. Essa perspectiva pode convencer o BCE de que não são necessários novos aumentos em sua taxa básica de juros nos próximos meses. O juro básico subiu duas vezes desde abril. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.