Tamanho do texto

SÃO PAULO - As bolsas de valores dos Estados Unidos encerraram o pregão de ontem em queda, com preocupações de que os últimos esforços do Federal Reserve para conter a recessão americana sejam muito caros e ainda pouco testados, estimulando investidores a realizar lucros com ações de bancos depois da alta recente. O índice Dow Jones fechou em baixa de 1,15%, a 7.

400 pontos. O Nasdaq perdeu 0,52%, para 1.483 pontos. O Standard & Poor´s 500 teve desvalorização de 1,30%, a 784 pontos.

Os investidores mostraram-se inseguros com as implicações da ação do Fed para injetar mais US$ 1 trilhão no sistema financeiro e um plano para expandir seu programa de empréstimo para pequenas empresas e para o consumidor, temendo que as medidas poderiam incitar inflação no longo prazo.

As ações de financeiras derrubaram o índice S & P, incluindo as do JPMorgan, que caíram 8%, à medida que alguns investidores optaram por embolsar parte dos lucros recentes. O índice de bancos KBW, após exibir alta de 11% na véspera, caiu 9,1% ontem.

" Eles são capazes de obter sucesso? É muito agressivo em termos de alavancar o balanço? " , perguntou David Katz, vice-presidente da Matrix Asset Advisors.

Os papéis da empresa de manufatura 3M estiveram entre as maiores quedas do índice Dow Jones, perdendo 3,5% depois que a corretora Bernstein cortou o preço-alvo para as ações da empresa, afirmando que a companhia provavelmente deverá ter este ano sua pior taxa de crescimento em quase 40 anos.

As bolsas da Europa terminaram em alta, conduzidas por bancos e commodities. Mas os ganhos foram limitados por preocupações com a atuação do Fed. O índice de blue chips FTSEurofirst300 avançou 0,6%, para 715 pontos.

" A euforia inicial cercando o esquema da compra de títulos parece ter enfraquecido um pouco. Os Estados Unidos estão em baixa, o que está arrastando a Europa para baixo " , disse Peter Dixon, estrategista do Commerzbank.

Os papéis do setor financeiro foram os que apresentaram ganhos maiores. O Barclays subiu 17,2%, enquanto HSBC, Standard Chartered e UBS subiram de 3,3% a 6,8%.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em alta de 0,31%, a 3.816 pontos. O DAX, de Frankfurt, ganhou 1,18%, para 4.043 pontos. Também subiram os indicadores das bolsas de Paris (0,6%), Milão (2,01%), Madri (0,52%) e Lisboa (1,09%).

(Valor Econômico, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.