Tamanho do texto

SÃO PAULO - O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) apurou deflação de 0,85% em janeiro, após ter registrado ligeiro aumento de 0,03% em dezembro. Já no acumulado de 12 meses, o IGP-10 teve alta de 8,23%.

Os dados divulgados hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que a deflação do período foi gerada pelo Índice de Preços por Atacado (IPA), que caiu 1,50%, sendo que em dezembro tinha registrado queda menor, de 0,22%. O índice do atacado responde por 60% do IGP-10 cheio.

Os bens intermediários foram os que mais pressionaram o indicador, saindo de uma queda de 0,88% em dezembro, para uma deflação de 1,80% no primeiro mês do ano. O destaque do grupo foram os materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de (-0,30%), para (-2,42%) em janeiro.

Já os bens finais registraram diminuição dos preços de 0,93%, sendo que em dezembro a taxa era negativa em 0,16%. Veículos e acessórios foi o subgrupo que teve a maior queda nos preços, saindo de uma inflação de 0,76%, para uma taxa negativa de 7,53%.

O terceiro setor abrangido pelo IPA, as matérias-primas brutas, também apresentou queda no indicador, passando de uma variação positiva de 0,71% em dezembro, para uma negativa de 1,67% em janeiro.

Na contramão, o componente que mostra os preços ao consumidor, o IPC, teve alta de 0,62% em janeiro, a mesma taxa apurada no mês anterior. Os preços ao consumidor representam 30% do indicador total. A classe Educação, Leitura e Recreação (de 0,41% para 1,22%), influenciada principalmente pelo aumento dos cursos formais, e a classe Transportes (de 0,31% para 0,83%), estimulada pela alta na tarifa de ônibus urbano, foram os destaques de alta.

A FGV mostrou ainda que a inflação na classe alimentação recuou, de 1% em dezembro, para 0,81% em janeiro, essencialmente por causa da queda nos preços dos laticínios (de 1,41% para -0,21%). Habitação também teve redução na taxa, saindo de 0,57% para 0,29%, motivada pela baixa do preço da tarifa de eletricidade residencial (de 0,74% para 0,02%).

O terceiro componente do IGP -10, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), registrou inflação, mas a uma taxa menor do que a registrada no mês anterior. A variação saiu de 0,33%, para 0,17% em janeiro. Esta queda na taxa se deu devido aos grupo materiais (de 0,47% para 0,17%) e mão-de-obra (de 0,14% para 0%).

O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

(Vanessa Dezem | Valor Online )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.