Tamanho do texto

SÃO PAULO - Embora se mantenha em forte alta no pregão desta segunda-feira, os investidores diminuíram em parte do fôlego comprador na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que já marcou 66.083 pontos na máxima do dia.

SÃO PAULO - Embora se mantenha em forte alta no pregão desta segunda-feira, os investidores diminuíram em parte do fôlego comprador na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que já marcou 66.083 pontos na máxima do dia. Por volta das 11h15, o Ibovespa subia 4,15%, aos 65.478 pontos, com giro financeiro movimentado de R$ 2,095 bilhões. Já o índice futuro avançava 5,46%, aos 66.550 pontos. Em Wall Street, após quatro pregões negativos, as bolsas também têm um dia mais tranquilo, em reação ao pacote de ajuda financeiro na Europa. Há instantes, o índice Dow Jones aumentava 4,03%, enquanto o Nasdaq registrava acréscimo de 4,56% e S & P 500 subia 4,36%. Com uma agenda esvaziada de indicadores, o foco do pregão inicial da semana se volta ao continente europeu, depois da aprovação de um plano de socorro financeiro no valor de 750 bilhões de euros pelas nações da União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). O socorro foi elaborado para garantir a estabilidade do euro e para ajudar os países endividados. Mais importante que o plano em si, o Banco Central Europeu (BCE) anunciou que comprará bônus privado e do governo para ajudar a afastar a crise da dívida do continente. Em seu relatório matinal, a Gradual Investimentos ressaltou que o pacote não se resume a apenas dinheiro e que, na realidade, isso é o que menos importa. "O relevante aqui é a sinalização inequívoca que irão fazer todo o possível para garantir a perpetuidade daquela moeda e da sua área de comércio comum. Ao assinar o acordo de criação da moeda única, estava implícito que seria na alegria e na tristeza, na saúde ou na doença. Pois bem: eles estão caminhando na direção correta", afirmaram os economistas Pedro Paulo Silveira e André Perfeito. De volta ao mercado local, as chamadas "blue chips" operavam com altas expressivas. Enquanto as ações PN da Petrobras subiam, há pouco, 3,05%, saindo a R$ 30,66, os papéis PNA da Vale avançavam 4,42%, a R$ 45,06. Entre as maiores valorizações do Ibovespa estavam os papéis ON da MRV, com valorização de 8,74%, a R$ 11,56, seguidos por Fibria ON, com aumento de 7,42%, a R$ 33,29, e por OGX Petróleo ON, com apreciação de 7,36%, a R$ 16,48. No sentido oposto, verificavam baixa as ações Telesp PN, com queda de 0,67%, a R$ 33,76, e Souza Cruz ON, com depreciação de 0,37%, a R$ 66,15. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.