Tamanho do texto

Os resultados de outubro confirmam a recuperação do setor industrial, com a décima taxa positiva consecutiva ante mês anterior, segundo avalia a gerente de análises da coordenação de indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Isabella Nunes. Ela observou que a expansão de 2,2% na produção em outubro ante setembro foi sustentada pelas quatro categorias de uso e por 21 das 27 atividades pesquisadas, na mesma base de comparação.

Isabella destacou também que a queda de 3,2% na produção industrial apurada em outubro em base anual representou o menor recuo ante o mesmo mês do ano anterior desde outubro do ano passado, quando os efeitos da crise chegaram com mais força ao setor, que mantém resultados negativos nesse confronto desde então. "Queda menor também é recuperação", disse Isabella.

Ela sublinhou que o resultado de outubro comparativo a igual mês do ano passado foi afetado negativamente pelo fato de outubro deste ano ter dois dias úteis a menos do que o mesmo observado no mesmo mês de 2008, mas ainda assim o número (-3,2%) foi o melhor apurado em 2009, nesta base de comparação.

"É a melhor marca desse período (desde o início dos efeitos da crise) e isso é efeito de uma trajetória de recuperação", disse. Segundo Isabella, a base de comparação mais deprimida nos últimos meses de 2008 vai influenciar os resultados de novembro e dezembro deste ano, pois o nível de produção da indústria nos últimos dois meses do ano passado já tinha sido bastante reduzido em relação a setembro e outubro do mesmo ano.

Recuperação

Apesar da continuidade do processo de reação industrial, Isabella Nunes avalia que a recuperação do setor ainda não está consolidada. "A recuperação estaria consolidada se já estivéssemos no patamar de produção de antes da crise e ainda estamos no patamar de outubro de 2007. Mas é bom lembrar que no auge da crise, em dezembro do ano passado, retornamos ao patamar de produção de 2004", disse.

Isabella destacou também a importância do mercado interno para a recuperação da indústria em 2009. "Houve uma decisão do governo de segurar o consumo interno. A recuperação de bens duráveis reflete toda a política anticíclica de desoneração de impostos", disse.

Ela destacou ainda o maior espalhamento da recuperação da indústria, entre os produtos, em outubro. Ela citou como evidência desse espalhamento o índice de difusão, que mostrou crescimento na produção em 42% dos 750 produtos pesquisados em outubro, ante igual mês do ano passado. Em setembro deste ano, o índice de difusão havia apontado uma alta de 34%, na mesma base de comparação.

A gerente do IBGE ressaltou também que, apesar de toda a recuperação que vem sendo registrada na indústria ao longo de 2009 e do crescimento de 19,5% já apurado no setor em outubro, ante dezembro do ano passado, a produção industrial ainda foi 5,7% menor, em outubro, do que em setembro de 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.