Tamanho do texto

SÃO PAULO - A fabricante de aviões executivos Hawker Beechcraft anunciou que irá demitir 5% de sua força de trabalho como forma de reduzir seus custos e enfrentar as cada vez mais difíceis condições econômicas globais. Apenas no terceiro trimestre deste ano, as vendas da Hawker diminuíram em US$ 87,7 milhões em relação ao ano anterior, para um total de US$ 783,3 milhões.

"Em resposta à desaceleração da economia global e da perspectiva econômica geral, a Hawker informou seus funcionários no dia 31 de outubro que será necessário realizar reduções na força de trabalho em consonância com ajustes que serão realizados ao ritmo de produção de aeronaves", afirmou a companhia.

No período, além da crise econômica, o resultado da Hawker também foi afetado por uma greve de quatro semanas de seus trabalhadores. Segundo a empresa, as entregas de aviões foram severamente impactadas pela greve.

"Durante o trimestre, a empresa entregou 86 aviões executivos e de aviação geral, sendo 34 jatos, 33 turboélices e 19 aeronaves a pistão, comparado com os 106 aparelhos entregues no mesmo período de 2007", afirmou a companhia.

A essa queda nas receitas se somou, no período, um gasto de US$ 25 milhões para realizar modificações no sistema de produção e no desenho final de seu novo jato executivo, o Hawker 4000.

"Estamos monitorando muito de perto as condições econômicas globais para avaliar seu impacto sobre nossa indústria", afirmou o executivo-chefe da Hawker, Jim Schuster, em carta aos empregados enviada na semana passada. "Seguindo adiante, seremos ativos em responder à realidade econômica em evolução ao mesmo tempo que continuamos a oferecer os melhores produtos, serviços e suporte da indústria", acrescentou.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.