Tamanho do texto

Pela primeira vez, prêmio da Ordem dos Economistas do Brasil, e mais importante forma de reconhecimento dos profissionais do setor, é concedido a um jornalista da internet

Guilherme Barros, colunista do iG, é eleito Jornalista Econômico do Ano
Greg Salibian/iG
Guilherme Barros, colunista do iG, é eleito Jornalista Econômico do Ano
O colunista do iG Guilherme Barros foi eleito o Jornalista Econômico do Ano pela Ordem dos Economistas do Brasil. A premiação é uma das categorias do Economista do Ano, o mais importante prêmio da área e criado como forma de reconhecimento aos profissionais do setor. É a primeira vez que um jornalista da internet é agraciado com a homenagem. O troféu de Economista do Ano foi concedido ao ministro da Fazenda, Guido Mantega .

Jornalista há 30 anos, Barros está no iG desde 2009. Seu blog foi considerado pela pesquisa “Impacto das Mídias” , realizada pelo Instituto Máquina de Pesquisa com executivos de grandes empresas, como um dos três mais influentes do País.

Nele, Barros antecipa os principais movimentos do mundo dos negócios, das finanças e da economia brasileira. Foi no blog que o leitor do iG ficou sabendo em primeira mão, por exemplo, os nomes da equipe econômica e as principais medidas do governo Dilma Rousseff, bem como diferentes medidas cambiais. Barros também antecipou a queda do presidente da Vale , Roger Agnelli, e fez entrevistas exclusivas com grandes banqueiros como Roberto Setúbal , presidente do Itaú, e Luiz Trabuco , do Bradesco.

Na área política, o jornalista noticiou que José Serra assumiu sua candidatura à presidência, antes mesmo de a informação ir ao ar, no programa do apresentador José Luiz Datena. Também postou a notícia de que a presidenta Dilma Rousseff parabenizava o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por seus 80 anos . E que o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles continuaria no cargo até o fim do governo e não sairia como candidato nas eleições, o que viria a se confirmar.

“Um furo que eu queria ter dado era a ida do Ronaldinho Gaúcho ao Flamengo”, diz Barros. “Noticiei que ele estava negociando com um clube brasileiro , o Palmeiras, mas ele preferiu fechar com o Flamengo. Como bom flamenguista, não fiquei nada triste por ele ter escolhido outro time. O Flamengo é vice-líder do Brasileirão e o Ronaldinho é o artilheiro.”

Antes de trabalhar no iG, Barros esteve à frente da coluna Mercado Aberto, publicada no caderno Dinheiro, da “Folha de S.Paulo”, durante nove anos. Trabalhou ainda nos jornais “O Globo”, “Gazeta Mercantil”, “Jornal do Brasil”, nas revistas “Veja” e “Exame” e “Época”. Barros também ganhou diversos prêmios, entre eles Abril, Fiat Allis, Icatu e foi finalista do Esso. Desde julho, ele passou também a fazer comentários no jornal RedeTV News, da Rede TV!.

Além do ministro Guido Mantega, também serão premiados Carlos Jereissati (Economista Homenageado), Andrea Calabi (Economista do Setor Público) e Carlos Kawall Ferreira (Economista Chefe). Foram concedidos ainda prêmios a Fernando de Holanda Barbosa (Ensino e Pesquisa), Hélio Nogueira da Cruz (Inovação Tecnológica), Fernando Bento Homem de Melo (Agricultura), Ricardo Pelegrini (Indústria) e Bruno Covas (Meio Ambiente). As empresas Natura e Alesat mereceram troféus por sua governança e a Lojas Renner, por sua atuação no varejo. Receberão Menção Especial os economistas Maria Helena Santan, Joaquim Pedro Souza Campos, Antonio Ferreira Pinto, Carlos Alberto Wanderley, João Ronco Pinto e Claudio Contadora. A medalha de Honra ao Mérito será concedida ao vice-presidente Michel Temer.

Realizado desde 1959, o prêmio Economista do Ano é destinado a um profissional eleito entre seis finalistas indicados por uma Comissão Especial que analisa nomes propostos pelos representantes dos Conselhos Regionais de Economia, do Conselho Federal de Economia e pelos representantes do Conselho Superior e da Diretoria da Ordem dos Economistas do Brasil. Concorrem todos os economistas que têm curso de graduação em economia e que se destacam no ano, desde que não tenham sido eleitos nos dez anos anteriores ao da premiação.

O prêmio será entregue dia 22 de agosto, num evento realizado em São Paulo.

Veja também:

Guido Mantega é eleito Economista do Ano 2011

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.