Tamanho do texto

O grupo dos 22 países em desenvolvimento e pobres, incluindo os gigantes emergentes Brasil e Índia, fecharam acordo de corte de tarifas em paralelo à reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), que começou segunda-feira e deve terminar hoje sem consenso sobre a rodada Doha, de negociação para redução nas barreiras comerciais globais. O acordo prevê cortes de tarifas de 20% a 70% sobre todos os produtos.

"Este é um passo importante na cooperação sul-sul", disse o ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Taiana, que presidiu o grupo. O acordo mostra que "os países em desenvolvimento tem o desejo e a capacidade de chegar a um acordo" e que o impasse nas negociações da Rodada Doha "não é um problema do nosso lado", acrescentou Taiana. O diretor do Departamento da Conferência para o Desenvolvimento e Comércio das Nações Unidas, Supachai Panitchpakdi, estimou que o corte das tarifas aumentará "em pelo menos US$ 8 bilhões o comércio entre os países".

O grupo é formado pela Argélia, Chile, Cuba, Egito, Índia, Irã, Indonésia, Malásia, México, Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Marrocos, Nigéria, Coreia do Norte, Paquistão, Coreia do Sul, Sri Lanka, Tailândia, Vietnã e Zimbábue. Ele foi criado em agosto de 2003, antes da reunião de Cancún, no México para discutir a Rodada Doha. O grupo circulou suas próprias demandas na reunião de Cancún, voltadas às questões agrícolas, as quais encontraram resistência e a Rodada Doha ficou assim emperrada. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas