Tamanho do texto

Vinte e dois países emergentes e em desenvolvimento, entre eles o Brasil, a Índia, o México e a Argentina, concordaram nesta quarta-feira, em Genebra, com uma redução de tarifas em seus intercâmbios comerciais, à margem da reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC).

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575247345&_c_=MiGComponente_C

"Este é um passo importante para a cooperação Sul-Sul", afirmou o chanceler argentino Jorge Taiana, presidente do grupo, ao anunciar o acordo.

Segundo o compromisso alcançado, os 22 países reduzirão em pelo menos 20% suas tarifas para um mínimo de 70% dos produtos que comercializam entre si.

Os países signatários são Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, México, Uruguai, Cuba, Egito, Índia, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Argélia, Irã, Marrocos, Tailândia, Sri Lanka, Vietnã, Zimbábue, Malásia, Indonésia, Nigéria e Paquistão.

O acordo faz parte das negociações da Rodada de São Paulo de liberalização dos intercâmbios comerciais Sul-Sul lançadas em 2004, que os países em questão pretendem finalizar em setembro de 2010.

"O comércio Sul-Sul é uma boa resposta, apesar de não ser única, para sair da crise", indicou o chanceler brasileiro Celso Amorim.

Segundo o diretor da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD), Supachai Panitchpakdi, este acordo deverá aumentar em 8 bilhões de dólares o comércio entre esses países.

Leia mais sobre: comércio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas