Tamanho do texto

HELSINQUE (Reuters) - Cerca de 60 por cento da capacidade das fabricantes finlandesas de papel está ociosa por conta da greve nos portos do país, que entrou em sua segunda semana, disse a federação das indústrias florestais da Finlândia nesta segunda-feira. O trabalho está parado para mais de 3,7 mil trabalhadores florestais, disse a federação em um comunicado, pedindo à união dos trabalhadores do setor de transportes (AKT) que estabeleça um acordo na disputa dos interesses da sociedade finlandesa como um todo.

Os estivadores entraram em greve no último dia 4, e a indústria finlandesa estima perdas de 100 milhões de euros (137,5 milhões de dólares) por dia. A greve ameaça a recuperação da economia da Finlândia, em que indústrias como a florestal, eletrônica e metais estão entre as mais afetadas pela crise global.

Negociações entre a AKT e os operadores portuários tiveram um revés na sexta-feira e não há uma data prevista para que as conversas sejam retomadas.

A fabricante de papel Stora Enso disse nesta segunda-feira que fechou sua máquina de papéis finos em Oulu e duas máquinas de fabricação de papéis para revista em Veitsiluoto devido à greve.

(Por Brett Young)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.