Tamanho do texto

O controlador da fabricante de calçados Grendene, Alexandre Grendene Bartelle, vai investir cerca de US$ 450 milhões na construção de uma usina siderúrgica na cidade de Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul. O projeto foi apresentado na terça-feira, por representantes da empresa, às autoridades do município.

De acordo com informações da prefeitura local, serão investidos US$ 450 milhões na usina, que inicialmente terá capacidade para produzir 550 mil toneladas por ano em 2011. Na segunda etapa, a produção pode chegar a um milhão de toneladas ao ano. A unidade produzirá ferro-gusa, vergalhões de aço e fio-máquina.

O empreendimento deve gerar cerca de mil empregos diretos e 2 mil indiretos. No pico das obras, cerca de 7 mil operários estarão envolvidos no projeto. O empresário comprou uma área de 3,6 quilômetros quadrados para implantar a siderúrgica, a 18 quilômetros do centro de Três Lagoas. As obras de construção começam no próximo ano, quando a siderúrgica deve obter o licenciamento prévio. A usina foi batizada de Siderúrgica de Três Lagoas (Sitrel). Os incentivos fiscais concedidos para a Sitrel variam de 75% a até 90%.

Procurada pelo Estado, a Grendene informou apenas que o projeto pertence ao controlador da empresa, Alexandre Grendene Bartelle, e não à companhia fabricante de calçados. O empresário, por sua vez, não retornou as ligações.

O município de Três Lagoas já recebe um investimento de US$ 1,5 bilhão da Votorantim Celulose e Papel (VCP), que está terminando de construir uma fábrica de celulose na região. Segundo informações da empresa, a capacidade de produção da unidade, que deve começar a operar em maio de 2009, será de 1,3 milhão de toneladas de celulose branqueada de eucalipto por ano.

Cerca de 80% da produção será destinada ao mercado externo, via transporte ferroviário de Três Lagoas até o Porto de Santos. O restante ficará no mercado interno. Parte será comercializada para a fábrica de papel da International Paper, também em Três Lagoas.

Ainda segundo a VCP, o empreendimento elevará em 300% o PIB do município e em 13,5% o PIB de Mato Grosso do Sul. O investimento deverá gerar cerca de 30 mil postos de trabalho, diretos e indiretos, na região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.