Tamanho do texto

LONDRES - Milhares de trabalhadores entraram em greve nesta sexta-feira no Reino Unido para protestar contra a contratação pela empresa Total de imigrantes italianos e portugueses, num momento em que a recessão está se instalando no país.

As greves transcorreram pacificamente em uma dezena de locais ligados a setores de energia na Inglaterra, na Escócia, no País de Gales e na Irlanda do Norte, e não tiveram efeito sobre a produção, destacaram as empresas afetadas pelo movimento, entre as quais as petroleiras Total, Shell, BP e ExxonMobil.

O movimento começou quarta-feira na refinaria Total de Lindsey, no leste da Inglaterra, a terceira maior do país com 200.000 barris por dia. O grupo francês, presente há 40 anos, emprega 550 pessoas em Lindsey, além de 200 a 1.000 imigrantes temporários.

No entanto, depois de vencer uma licitação entre cinco empresas britânicas e duas estrangeiras, a italiana IREM foi encarregada de conduzir um projeto de extensão de 200 milhões de libras (220 milhões de euros). Cem operários italianos e portugueses, aos quais devem se juntar outros 300 no próximo mês, já foram acomodados em barcos ancorados perto do local.

O United, o maior sindicato do país, já convocou uma manifestação em Londres para a próxima semana.

O desemprego atinge 6,1% da população ativa no Reino Unido, a porcentagem mais alta da última década.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.