Tamanho do texto

Brasília, 08 - O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, solicitou hoje, em Brasília, ao ministro da Agricultura de Israel, Shalom Simhon, o reconhecimento do Paraná como área livre da febre aftosa com vacinação. A intenção é viabilizar a exportação de carne bovina da região para Israel.

O pleito do governo brasileiro é baseado no reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em maio deste ano, do Estado paranaense como livre de febre aftosa com vacinação. No encontro, o Brasil também requisitou ao Estado de Israel os critérios do país para exportação de soro bovino brasileiro, informou a assessoria de imprensa do ministério.

No encontro, a autoridade israelense declarou interesse em exportar para o Brasil produtos vegetais utilizados em rituais religiosos, como o salgueiro e uma espécie de palmeira. Esses vegetais estão sob análise de risco de pragas, pré-requisito para a importação do produto. Dados do ministério indicam que o agronegócio tem participação de destaque nas exportações brasileiras para Israel. Dos US$ 356 milhões comercializados para o país, em 2007, US$ 236 milhões foram em produtos agropecuários.

Dentre os principais estão a carne bovina in natura, a soja em grão, o açúcar refinado, o suco de laranja, o milho e o café verde. Nas importações brasileiras do agronegócio, os produtos mais adquiridos de Israel em 2007 foram sementes de hortícolas, leguminosas, raízes e tubérculos, totalizando US$ 2,9 milhões, e sucos e extratos vegetais, que resultaram em US$ 1,5 milhão.

Leia mais sobre exportação - febre aftosa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.