Tamanho do texto

Londres, 31 out (EFE).- O Governo britânico deu hoje sinal verde à fusão do banco Lloyds TSB com o Halifax Bank of Scotland (HBOS) e rechaçou algumas preocupações sobre a operação expressadas pelo Office for Fair Trading (escritório para o comércio eqüitativo).

O secretário de negócios britânico, Peter Mandelson, afirmou que o interesse público em "preservar a estabilidade do sistema financeiro" é superior aos eventuais efeitos anticompetitivos que possa ter a fusão das duas entidades.

Em um relatório dirigido ao Governo, o OFT tinha advertido que a operação poderia eventualmente diminuir a concorrência na abertura de contas pessoais, serviços de bancos para a pequena empresa e mercado hipotecário.

"Estou convencido de que o interesse público está melhor protegido caso se permita que a fusão siga adiante sem precisar recorrer a consideração da Comissão de Concorrência como sugere o Office for Fair Trading", disse Mandelson.

Mandelson reconheceu a existência de certa preocupação com os possíveis efeitos na concorrência no setor bancário e disse ter pedido ao OFT que seguisse mantendo sob observação os mercados relevantes.

O Lloyds TSB anunciou em 18 de setembro que estava disposto a salvar da crise o concorrente HBOS, o comprando por 12 bilhões de libras (15,465 bilhões de euros).

A fusão das entidades criará o maior banco do Reino Unido, que controlará quase um terço do mercado britânico de hipotecas, terá mais de 300 bilhões de libras (381 bilhões de euros) em depósitos e uma rede com três mil filiais. EFE jr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.