Tamanho do texto

Grupo quer transferir demanda adicional para nações emergentes

Berlim, 25 mar (EFE).- O grupo General Motors pretende aumentar sua capacidade de produção em países de baixos custos como Brasil, México, Polônia, Rússia, China e Índia, informou a revista alemã "Der Spiegel". De acordo com a publicação, a direção do grupo quer transferir para estes países até 80% da demanda adicional que for gerada pelo aumento de vendas da montadora.

Um exemplo dessa estratégia, segundo a "Spiegel", são os planos de aumentar em até 25% a capacidade de produção da fábrica polonesa de Gliwice, onde é montado o modelo Astra, da subsidiária Opel. Por outro lado, a companhia cogita fechar como até 2016 a unidade de montagem do Zafira em Bochum, na Alemanha.

Os planos da General Motors incluem, além disso, um aumento da capacidade de suas fábricas no México, na Coreia do Sul e na China. As informações da revista saem depois de uma nota divulgada ontem pela direção de Opel negando supostos planos imediatos de fechamento de fábricas europeias. O presidente da filial europeia da GM, Karl-Friedrich Stracke, lembrou em entrevista ao jornal "Bild" que a sobrevivência destas fábricas está garantida até 2014, e disse que mantinha este compromisso.

Stracke negou assim informações divulgadas pelo "Wall Street Journal", segundo as quais a matriz americana pretendia cortar custos em sua subsidiária, o que poderia levar ao fechamento da fábrica alemã de Bochum e da unidade de Ellesmere Port, no Reino Unido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.