Tamanho do texto

Washington, 12 mar (EFE).- A General Motors (GM) disse hoje que não precisa dos US$ 2 bilhões que pediu inicialmente ao Governo dos Estados Unidos para continuar operando durante o mês de março, dada a aceleração na redução de seus custos.

O vice-presidente executivo e diretor financeiro da montadora, Ray Young, afirmou, em nota, que a empresa "avisou à Força de Trabalho Presidencial para o Setor Automobilístico que os US$ 2 bilhões solicitados para março não serão necessários neste momento".

Young acrescentou que a mudança é fruto da "aceleração dos esforços de redução de custos em toda a companhia", assim como da decisão de adiar despesas antecipadas para janeiro e fevereiro.

O anúncio da empresa foi feito horas depois que de os trabalhadores da GM Canadá terem ratificado modificações no acordo coletivo do sindicato Canadian Auto Workers (CAW) com a montadora.

As mudanças permitirão à GM reduzir significativamente seus custos trabalhistas no Canadá e abrem caminho para que a empresa receba até US$ 4,6 bilhões das autoridades canadenses para manter suas operações no país. EFE jcr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.