Tamanho do texto

Montante foi de US$ 1,6 bilhão, o maior da história para o mês; no trimestre, volume gasto foi de US$ 4,72 bilhões

As despesas dos turistas brasileiros no exterior cresceram 47,1% no mês de março, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central. Ao todo, foram gastos US$ 1,650 bilhão, contra US$ 1,121 de março do ano passado. Trata-se do maior volume gasto por brasileiros fora do País para março da história.

Em fevereiro, os turistas brasileiros haviam gastado US$ 1,332 bilhão no exterior. No acumulado dos três primeiros meses do ano, o montante gasto chegou a US$ 4,724 bilhões, contra US$ 3,340 bilhões de igual período do ano passado.

O resultado é atribuído ao fortalecimento do real frente ao dólar e ao ganho de renda do brasileiro nos últimos anos.

Gastos do brasileiro no exterior

Acompanhe a evolução dos gastos dos turistas fora do País

Gerando gráfico...
Fonte: Banco Central


Já os gastos de turistas estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 630 milhões, acima dos US$ 576 milhões de março de 2010. Nos três primeiros meses do ano, os estrangeiros deixaram US$ 1,79 bilhão no Brasil, contra US$ 1,65 bilhão de igual período do ano anterior.

Com isso, a conta viagens internacionais encerrou o primeiro trimestre de 2011 com déficit de US$ 2,92 bilhões, acima dos US$ 1,69 bilhão de igual período de 2010. No mês de março, o saldo ficou negativo em US$ 1,02 bilhão, também acima dos US$ 545 milhões do mesmo mês do ano passado.

Balanço de pagamentos

No mês de março, o balanço de pagamentos – que considera todas as transações do País com o exterior – teve superávit de US$ 9,5 bilhões. Já as transações correntes (que não incluem as operações de capital financeiro) ficaram deficitárias em US$ 5,7 bilhões, resultado acima do esperado pelo mercado.

Com isso, o déficit em transações correntes acumulado em 12 meses chegou a US$ 50 bilhões, o equivalente a 2,33% do PIB.

Segundo o Banco Central, a conta financeira teve entrada de US$ 14,9 bilhões em março. “Destacaram-se os ingressos líquidos de investimentos estrangeiros diretos, US$ 6,8 bilhões, e os empréstimos diretos líquidos de médio e longo prazos, US$ 2,2 bilhões, e de curto prazo, US$ 6,3 bilhões.”

Já a conta de serviços – onde constam os números referentes aos gastos de turistas no exterior – teve déficit de US$ 3,1 bilhões no mês, resultado 8,7% superior ao registrado em março de 2010.

“As remessas líquidas de renda para o exterior somaram US$ 4,3 bilhões em março, 39,9% acima do resultado do mesmo mês do ano anterior”, completou o BC.

Os investimentos brasileiros diretos no exterior tiveram retornos líquidos de US$ 1,5 bilhão no mês, enquanto os investimentos estrangeiros diretos tiveram entrada líquida de US% 6,8 bilhões no período.

Reservas internacionais

De acordo com o balanço do Banco Central, as reservas internacionais somaram US$ 317,1 bilhões, um crescimento de US$ 9,6 bilhões frente a fevereiro.

“No mesmo período, a autoridade monetária comprou liquidamente US$ 8,8 bilhões no mercado doméstico de câmbio”, apontou a autoridade monetária.

A remuneração das reservas, por sua vez, geraram um saldo de US$ 629 milhões em março.

Já a dívida externa total encerrou o terceiro mês do ano em US$ 279,2 bilhões, sendo US$ 209 bilhões de longo prazo e US$ 70,2 bilhões de curto prazo.