Tamanho do texto

Últimas medidas da zona do euro para conter a crise da dívida precisam ser implementadas a toda velocidade

selo

Integrantes do grupo das 20 principais economias industrializadas e em desenvolvimento (G-20) disseram estar preparados para agir de forma coordenada com o objetivo de estabilizar os mercados financeiros e proteger o crescimento em meio à queda geral das bolsas asiáticas.

Os governos dos países do G-20 vão continuar em contato próximo e agir conforme a necessidade para "assegurar a estabilidade financeira e a liquidez nos mercados financeiros", diz um comunicado conjunto dos ministros de Finanças e presidentes dos bancos centrais do G-20, divulgado pelo Ministério de Estratégia e Finanças da Coreia do Sul.

O vice-ministro de Finanças da Coreia do Sul, Choi Jong-ku, disse, em uma entrevista coletiva, que é muito prematuro falar sobre medidas coordenadas e concretas a serem tomadas pelos países do G20 neste momento. "Todos os movimentos do mercado precisam ser monitorados muito de perto neste momento", afirmou Jong-ku.

Ele relatou que os membros do G-20 concordaram que as últimas medidas da zona do euro para conter a crise da dívida precisam ser implementadas a toda velocidade. Já os EUA, segundo Jong-ku, disseram aos outros membros do grupo que a motivação inicial da agência de classificação de risco Standard & Poor's para o rebaixamento do rating (nota) dos EUA foi baseada em um erro de cálculo da agência.

Os EUA transmitiram aos demais integrantes do G-20 as garantias recebidas das agências Moody's e Fitch de que não têm planos de rebaixar o rating do governo norte-americano. As informações são da Dow Jones.