Tamanho do texto

Elevação no custo dos contratos de swap de default de crédito do país coloca a segunda maior economia da zona do euro em foco

selo

A França deve cumprir seus planos de melhora das finanças públicas se quer assegurar o rating AAA, disse o ministro do Orçamento, Valerie Precesse, no dia seguinte ao custo para garantir proteção contra a dívida da França ter atingido nível recorde.

"Para assegurar (o rating AAA) devemos manter os avanços nas finanças públicas", disse Precesse em entrevista à rádio francesa RTL. "É importante que mantenhamos nossos compromissos".

Embora não haja indicação das agências de classificação de risco de crédito de que a nota da França será rebaixada, a elevação no custo dos contratos de swap de default de crédito da França coloca a segunda maior economia da zona do euro em foco, em um momento em que está fortemente envolvida na administração da crise soberana da região.

De qualquer forma, a França aparece, no momento, como a economia mais fragilizada entre as seis que sustentam o rating AAA na zona do euro, carregando a maior dívida e a maior taxa de dívida em relação ao Produto Interno Bruto (PIB).

No mês passado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) advertiu que a França deveria preparar medidas de contingência para atingir suas metas de redução do déficit, ao publicar projeções de crescimento ao país inferiores as do governo francês. Tendo por base suas próprias projeções, o FMI disse que ajustes adicionais deveriam ser feitos para que o governo chegasse à sua meta de déficit público de 4,6% do PIB no ano que vem e de 3% em 2013.

Precesse afirmou ontem que o governo fará o que for necessário para manter suas metas de redução de déficit, conforme o prometido aos países parceiros da União Europeia, implicando que o governo francês provavelmente terá de realizar reduções adicionais no déficit. As informações são da Dow Jones.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.