Tamanho do texto

A deflação é o único caminho viável para que a endividada Grécia saia de seus atuais problemas macroeconômicos, disse o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn. "A única solução eficiente restante à Grécia é a deflação.

A deflação é o único caminho viável para que a endividada Grécia saia de seus atuais problemas macroeconômicos, disse o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn. "A única solução eficiente restante à Grécia é a deflação. Exatamente como foi corretamente recomendado pela Comissão Europeia", acrescentou, em entrevista concedida à revista semanal austríaca Profil. <p><p>"Será doloroso. Significará salários menores e preços menores. A Grécia deve retroceder do que fez nos últimos anos", afirmou Strauss-Kahn. "Não há outro caminho para a Grécia a não ser aumentar a competitividade". Ele também defendeu a introdução de uma estratégica econômica e de políticas europeias fortes, assim como uma maior coordenação na política fiscal entre os países membros.<p><p>Perguntado se o pacto de estabilidade não é suficiente para manter os membros da União Europeia macroeconomicamente indisciplinados sob controle, Strauss-Kahn afirmou: "não, é preciso uma política econômica europeia conjunta. A fim de implementar uma coordenação mais conjunta, a Europa precisa criar novas regulações que, em casos de emergência, possam forçar países individualmente a cumprir com as regras".<p><p>"Precisamos de uma Europa que mostre mais os dentes", afirmou Strauss-Kahn. A entrevista foi concedida antes de os ministros das finanças da zona do euro terem anunciado um pacote de pelo menos 30 bilhões de euros em ajuda para a Grécia. As informações são da Dow Jones.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.