Tamanho do texto

Washington, 29 jun (EFE)

Washington, 29 jun (EFE).- O Fundo Monetário Internacional (FMI) comemorou nesta quarta-feira a aprovação do plano de ajuste por parte do Parlamento grego, o que descreveu como uma "boa notícia" e uma medida "necessária". "A aprovação das medidas de austeridade que são o pilar do processo de ajuste respaldado pela Troika (o FMI, a União Europeia e o Banco Central Europeu) é uma notícia positiva", disse em entrevista coletiva o diretor-gerente interino do FMI, John Lipsky. Lipsky defendeu o que descreveu como um programa de "ajuste estrutural" que procura solucionar o "problema de competitividade" da economia grega. "O ajuste fiscal (na Grécia) é uma necessidade", insistiu Lipsky, quem destacou que o déficit grego equivale ainda a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) apesar aos fortes cortes implementados. Destacou que o "êxito e estabilidade" da Grécia é algo que interessa tanto à Europa como aos Estados Unidos. Em uma votação apertada, o Governo grego alcançou o apoio de 155 dos 300 membros do Parlamento, o abre caminho para um impopular programa de cortes, altas de impostos e privatizações no valor de 78 bilhões de euros. A aprovação do pacote de medidas por parte do Parlamento heleno era exigida como condição imprescindível para desembolsar os 12 bilhões de euros do próximo lance de ajuda da UE e o FMI a Atenas, necessários para que o país não caia em moratória durante o verão. O sim do Parlamento grego permitirá que a UE e o FMI avancem na preparação um segundo resgate para o país, além dos 110 bilhões de euros que foram concedidos em maio de 2010, e que, segundo o primeiro-ministro heleno, Giorgos Papandreou, poderia ascender a um número similar à do primeiro resgate. EFE tb/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.