Tamanho do texto

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou hoje a nota de avaliação de quatro países emergentes, revisou a perspectiva do rating de sete países e reafirmou a nota do Brasil em moeda local e estrangeira (grau de investimento), mantendo perspectiva estável. A agência citou preocupações com o impacto sobre os emergentes de uma recessão nas maiores economias mundiais, dos preços de matérias-primas (commodities) mais baixos e do fluxo reduzido de capital e nos mercados financeiros.

A reafirmação dos ratings "BBB-" do Brasil em moeda local e estrangeira "reflete o colchão significativo de moeda estrangeira de cerca de US$ 200 bilhões, que dá às autoridades mais flexibilidade de política e proteção contra o choque externo atual", afirma o comunicado da Fitch.

Nos demais emergentes, a Fitch reduziu o rating da Bulgária e do Casaquistão de "BBB" para "BBB-"; rebaixou a Romênia de "BBB" para "BB+" e cortou o rating da Hungria de "BBB+" para "BBB". Com a nova nota, a perspectiva da Hungria foi elevada de "negativo" para "estável".

Em relação às perspectivas para ratings mantidos, a agência revisou as da Coréia do Sul, México, Rússia e África do Sul de "estável" para "negativo". As perspectivas das notas do Chile e da Malásia foram revisadas de "positivo" para "estável".

A Fitch manteve os ratings soberanos e as perspectivas estáveis de China, Peru, Taiwan e Tailândia, e manteve o rating com perspectiva negativa em moeda local da Índia.

A classificação de risco é uma ferramenta usada pelos investidores estrangeiros na hora de decidir em que país irão colocar suas aplicações. Ela reflete o risco que um país tem de não honrar o pagamento de seus títulos. Quanto melhor é a avaliação, menor é o risco e, portanto, maior é a capacidade do país de atrair investimentos.

A partir de um determinado patamar de classificação de risco o país é considerado "grau de investimento". Ou seja, o risco de calote é muito baixo. Muitos fundos de investimento estrangeiro direcionam recursos apenas para países que têm esta classificação. Parte deles é mais exigente, aplicando apenas em países que são considerados "grau de investimento" por ao menos duas das três grandes agências. Com informações da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.