Tamanho do texto

Estudo da Mercer mostrou que a infelicidade no trabalho aumentou na comparação com 2005, quando 23% queriam deixar o trabalho

Um em cada três trabalhadores americanos tem vontade de deixar seu emprego e outros 21% estão insatisfeitos, mas não pensam em abandonar, divulgou a empresa de consultoria de recursos humanos Mercer.

O estudo, realizado com 2.400 americanos, destaca que a infelicidade no trabalho aumentou desde 2005, quando só 23% dos assalariados confessavam a vontade de deixar o trabalho, contra 32% atualmente.

O estudo mostra que 21% das pessoas insatisfeitas com o trabalho têm uma percepção negativa de sua empresa e confessam que estão pouco envolvidas com o que fazem. "As consequências desta erosão no sentimento dos trabalhadores são significativas e vão muito além da capacidade para reter os empregados", afirmou Mindy Fox, responsável da Mercer nos Estados Unidos.

No entanto, alguns parâmetros melhoraram. O estudo indica, nesse sentido, que a porcentagem de empregados que acredita que as empresas premiam os trabalhadores mais preparados é de 42%, contra 29%, em 2005.

O número dos que consideram que sua empresa faz um bom trabalho na hora de relacionar desempenho e salário também aumentou, de 33%, em 2005, para 46%, atualmente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.