Tamanho do texto

Comum em grandes cidades brasileiras, o serviço de valet em restaurantes é um dos que mais encantam portugueses que chegam ao País

Se as oportunidades de negócios e a facilidade do idioma atraem os empresários e profissionais portugueses em um primeiro momento, são as diferenças que motivam os expatriados a estender a permanência no Brasil. A qualidade dos serviços, o otimismo dos brasileiros e até a honestidade dos taxistas estão entre as características nacionais mais admiradas pelos portugueses que chegam ao País.

Henrique Agostinho, da Actual Sales, acredita que o otimismo dos brasileiros facilita a adaptação dos portugueses expatriados
Arquivo pessoal
Henrique Agostinho, da Actual Sales, acredita que o otimismo dos brasileiros facilita a adaptação dos portugueses expatriados
Sócio da empresa Practical Way, incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), o brasileiro Bruno Augusto diz que os portugueses, em geral, se surpreendem quando chegam ao País.

“A maioria teme a violência, o trânsito e a poluição de cidades como São Paulo. Mas, ao desembarcarem no Brasil, eles percebem que existem também coisas boas, como os supermercados 24 horas, que eles amam”, diz Augusto.

Na lista dos serviços que mais atraem os portugueses estão ainda os restaurantes que ficam abertos até tarde da noite, a variedade de lojas e shopping centers e os manobristas – ou valet parking. A possibilidade de deixar um carro na porta de algum estabelecimento comercial para um desconhecido estacionar é algo que, ao mesmo tempo, diverte e intriga os portugueses.

“As pessoas aqui compram carros blindados, cercam-se de grades e seguranças e, ao final do dia, entregam um de seus bens mais valiosos para um estranho levar. Achamos muita graça nisso”, diz Henrique Agostinho, sócio da Actual Sales, para confessar em seguida: “Adoramos esse serviço”.

Pois não, veja bem

Também é motivo de piadas e de alguns mal-entendidos a diferença de uso de algumas expressões. “Os brasileiros falam ‘Pois não’ para dizer sim e ‘Veja bem’ ou ‘Então’ para dizer não. Com isso, entendemos tudo errado até nos acostumarmos com essa diferença”, afirma Agostinho, que deixou Lisboa há mais de um ano para viver em São Paulo.

Consultado constantemente por diversos portugueses que estudam a possibilidade de vir para o Brasil, o empresário conta que logo no início todos passam por momentos de desespero quando descobrem a burocracia e a alta carga tributária. Passada essa fase, é comum que o expatriado comece a apreciar as boas coisas do Brasil, o que inclui até mesmo a seriedade dos taxistas. "Comparados aos portugueses, os taxistas daqui  são verdadeiros santos", afirma Agostinho, que elogia ainda o otimismo e a hospitalidade dos brasileiros.




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.