Tamanho do texto

Floricultura A Bela do Dia tem modelo de negócio que aposta no uso de bicicletas para entregas com preço acessível

Em busca de uma mudança na vida profissional, a jornalista Marina Prado e a promotora de eventos Tatiana Pascowitch criaram A Bela do Dia. Localizada em Pinheiros, na zona Oeste de São Paulo, a floricultura tem um conceito nada tradicional: levar flores “do dia”, de bike, por um preço acessível. As empreendedoras tiveram a ideia do negócio ao se perguntarem o porquê de as flores fazerem parte apenas de ocasiões especiais e não do dia a dia das pessoas.

A história teve início em abril de 2013, quando elas investiram R$ 16 mil juntas e saíram de bicicleta pelas ruas da Vila Madalena e Pinheiros vendendo. Elas compravam as flores na Ceagesp, montavam arranjos com preços entre R$ 8 e R$ 35 e pedalavam. A demanda cresceu e em dois meses saíram da garagem da Tatiana e foram para uma estação de coworking. Mais recentemente, em setembro de 2014, montaram um ateliê na região. Hoje, o negócio abandonou as vendas nas ruas e aposta nas encomendas, no serviço de assinaturas e no atendimento de eventos.

Marina afirma que inicialmente pensaram em montar uma floricultura móvel, em uma Kombi, mas o trânsito crescente de São Paulo fez com que mudassem de ideia.

“Nós andávamos muito de bicicleta e parecia uma boa ideia, numa época que elas ainda não estavam na moda”, lembra Marina. Mesmo não vendendo mais nas ruas, o uso de bicicletas nas entregas continua.

O catálogo de produtos engloba desde vidrinhos com uma haste de flor por R$ 7 até kits floridos com regador, tesoura, avental e um arranjo grande por R$ 300. O serviço de assinatura custa R$ 220 por mês e promete entregar um arranjo grande novo toda semana. Além das flores, a loja também comercializa banhos de ervas que variam entre R$ 16 e R$ 59 e uma boneca de pano que pode ser vendida separadamente por R$ 150 ou junto a uma cesta de vime com flores por R$ 205.

Para pedidos feitos na região de Pinheiros, Vila Madalena, Jardim Paulistano e Jardim América, o frete é grátis. Em outras áreas da cidade as taxas vão de R$ 10 (Jardins, Itaim, Jardim Europa, Alto de Pinheiros) a R$ 15 (Higienópolis, Paulista, Alto da Lapa, Perdizes, Sumaré e Vila Leopoldina e Moema). Fora desses bairros, fica a critério do cliente, buscar na loja ou pagar um motoboy, que cobra R$ 32, mas de acordo com Marina “são pessoas que nós conhecemos e sabemos que conseguem fazer as entregas sem danificar as flores”.

Localizada em Pinheiros, a floricultura trabalha com o conceito de oferecer flores para o dia a dia
Divulgação
Localizada em Pinheiros, a floricultura trabalha com o conceito de oferecer flores para o dia a dia

Com cinco funcionários, mais que o dobro de quando começaram dois anos atrás, Marina estima que são vendidos mais de 60 arranjos por dia, entre encomendas e assinaturas, que contam com mais de 200 clientes. Segundo ela, o negócio vai bem porque tem um fluxo constante ao longo do ano. “Nós temos uma relação normal, como qualquer comércio. Nas férias as encomendas diminuem, mas o conceito é oferecer flores no dia a dia das pessoas e quem compra da gente quer isso”, afirma.

Não está no plano das empreendedoras fazer investimentos no próximo ano. “A demanda está compatível com o número de funcionários que temos e com o tamanho do nosso ateliê – investimento que fizemos há pouco tempo. Apostamos num crescimento orgânico”, comenta Marina.

Serviço:

A Bela do Dia
Rua Mourato Coelho, 1.003 – Pinheiros – São Paulo
Tel: (11) 2935-0282/ 2935-0283
Segundas, das 9h às 17h30
Terça à Sexta, das 9h às 19h
Sábados, das 9h às 14h

Veja outras histórias de empreendedorismo


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.