Tamanho do texto

Além de vocalista da banda de heavy metal, Bruce Dickinson é empresário, piloto de avião, diretor de vídeos e apresentador

Bruce Dickinson: com experiência em pilotagem de aviões, o músico é CEO da Cardiff Aviation
Mariane Araújo
Bruce Dickinson: com experiência em pilotagem de aviões, o músico é CEO da Cardiff Aviation

Bruce Dickinson é um homem ambicioso. Além de vocalista da banda de heavy metal Iron Maiden, ele é empresário, autor, piloto de avião, diretor de vídeos e apresentador de rádio e da MTV e, recentemente, livrou-se de um câncer na língua.

Dickinson participou nesta quarta-feira (18) da 25ª edição do Ciab FEBRABAN – Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras, e ministrou uma palestra com o tema “Como Transformar Clientes em Fãs” para apresentar ao mundo o seu lado de empreendedor.

Com uma grande experiência em pilotagem de aviões, o músico é CEO da Cardiff Aviation, companhia especializada em manutenção de aeronaves comerciais da Aribus e Boeing e já trabalhou para a Astraeus Airlines. Ele é o comandante dos vôos durante as turnês do Iron Maiden.

Além de piloto, ele e a banda são proprietários da marca de cerveja Trooper, bebida preparada pela cervejaria Robinsons, vendida desde 2013 e inspirada na banda de heavy metal.

Confira as dicas de Bruce Dickinson para transformar clientes em fãs:

"Fique esperto ou morra"

Segundo Dickinson, há diferenças entre clientes e fã. "Eu odeio clientes. Clientes tem um opção, uma escolha. Quando um fã entra numa loja de rock, você sabe que ele vai comprar alguma coisa porque ele entrou na loja. Um cliente fica em dúvida", explica.

Para exemplificar, o músico cita a empresa de tecnologia Apple. "Por que as pessoas compravam computadores da Apple? Porque eles eram fãs. A Apple é uma religião."

Leia também:  10 empreendedores de sucesso com menos de 30 anos

MAIS: Veja os famosos que entraram para o mundo do empreendedorismo

"Saindo das sombras"

“O relacionamento é chave daquilo que  o Iron Maiden tem com todos os seus fãs. È por isso que eles não são clientes. A nossa plateia e o nosso público estão cada vez maiores. É como se fosse uma máquina de movimentação contínua. Você faz com que a vida dele esteja melhor, estando dentro da vida deles. Isso que se faz com o negócio, você está vendendo ou fornecendo um relacionamento, um bom relacionamento”.

"Sonhos infinitos"

Dickinson conta que a criatividade pode ajudar a desenvolver relacionamento nos negócios.

"A melhor forma para ser criativo é ter tempo para desperdiçar. Quando você está ocupado, você não tem tempo para deixar sua mente relaxar. Quando você é criativo em tempo integral, você nunca desliga, mesmo que você esteja sentando num ônibus, num trem, indo para algum lugar, você está fazendo alguma coisa", diz.

Leia também:  The Honest Company, empresa de Jessica Alba, atinge US$ 1 bilhão, diz revista

"Voando alto"

O empresário usou a história da banda de metal para contar que perder o medo de sonhar alto é essencial para quem quer empreender.

"Nós tinhamos um problema com o Iron Maiden. Eu tive uma ideia maluca. Imagine se nós colocassemos os equipamentos da banda num avião só, mais os nossos assessores? Nós queriamos viajar por todos os lugares que a gente sabia que havia muitos fãs do Iron Maiden e nós sabiamos que eles nos queriam ver. Imagine se nós tivessemos nosso tapete mágico? É uma maneira nova de pensar. Nós não precisamos fazer reserva, nós temos o nosso próprio vôo. As pessoas acham muito dificil pensar fora da caixa. Você pode ter uma despesa grande, mas tudo isso some quando você tem seu próprio tapete mágico”.

"Anos perdidos"

E se algo der errado? Segundo Dickinson, você deve alinhar o eixos e se reconstruir.

"Na maioria das vezes, quando eu tenho uma coisa que não funcionou, em geral, é porque eu escolhi as pessoas erradas. Você pode ter uma ideia fantástica, mas, muitas vezes, fazemos as escolhas erradas. Porém, a situação é recuperável", afirma.

O músico também descarta os pensamentos negativos. “Não me digam o que eu não posso fazer, me digam algo que eu posso fazer, caso contrário, eu não quero saber. É muito fácil ser negativo”.

    Leia tudo sobre: empreendedorismo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.