Tamanho do texto

Programa consiste na troca de conhecimento por meio de rede de relacionamento, simuladores, eventos e cursos de gestão

O Itaú Unibanco lançou nesta quinta-feira (20) projeto piloto de qualificação para mulheres empreendedoras. O programa consiste na troca de conhecimento entre pequenas empresárias por meio de eventos de networking (rede de relacionamento profissional), plataforma virtual, simuladores e programas educacionais.

-Leia também: Santander abre agência em favela de SP de olho em pequenos empresários

Serão selecionadas cerca de 1.500 mulheres de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte que tenham vínculo financeiro com o banco. Novas cidades devem ser incluídas no projeto nos próximos 60 dias — prazo em que todo o conteúdo do programa também estará disponível na plataforma virtual.

Segundo Eduardo Ferreira, superintendente de Negócios Inclusivos do banco, o objetivo do projeto é conhecer melhor as clientes e aprimorar o contato com elas.

Evento de lançamento do projeto
Divulgação
Evento de lançamento do projeto "Mulheres Empreendedoras" do Itaú Unibanco

 "Fizemos uma pesquisa e descobrimos que a deficiência das empreendedoras não estava em entender os produtos financeiros oferecidos pelo banco. Elas tinham carência de conhecimentos de gestão e uso dos recursos financeiros", destaca Ferreira.

-Leia também: microcrédito dispara 46% e aumenta lucro de empresários da periferia

O anúncio do programa de qualificação veio um ano depois de o banco formalizar apoio ao público feminino. Com a ajuda de fundos, organizações e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Itaú Unibanco aderiu ao Women Entrepreneurship Banking (WEB, o Bancos de Mulheres Empreendedoras) e disponibilizou cerca de R$ 1 bilhão para pequenas empresárias.

Ação conjunta

"É uma ação conjunta. Disponibilizamos o dinheiro e ensinamos as mulheres a utilizarem bem os recursos e administrarem melhor os negócios", afirma o executivo.

Entre as iniciativas do projeto está a rede online de cocriação, que consiste em uma plataforma de troca de informações. No sistema, as integrantes do programa poderão compartilhar todo o conteúdo aprendido nas aulas presenciais com outras empresárias pelas redes sociais.

Também serão realizados eventos períodicos para discutir temas relevantes ao dia a dia da mulher empreendedoras.

"De cada quatro empresas que obtêm crédito conosco, uma é liderada por mulheres. Esse público certamente está crescendo muito", conclui Ferreira.




    Leia tudo sobre: empreendedorismo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.