Tamanho do texto

Rede Japa Express tem parceria para ser instalada somente dentro do Carrefour; investimento inicial é de R$ 88 mil

Depois de não ter sucesso com um restaurante japonês no Balneário Camboriú (SC), o empresário Eugênio Ferrão, de 51 anos, decidiu analisar os motivos que levaram seu negócio a quebrar.

-Leia também: vire empresário: confira 50 microfranquias a partir de R$ 5,5 mil

Entre as conclusões, estavam a competitividade do setor e o alto custo da mão de obra. "Um sushi man custa a partir de R$ 2 mil por mês, o que acaba encarecendo meu produto e inviabilizando o negócio", avalia Ferrão.

Eugênio Ferrão, proprietário da Japa Express, na Feira do Empreendedor 2014
Divulgação
Eugênio Ferrão, proprietário da Japa Express, na Feira do Empreendedor 2014

Para vencer essa barreira e permanecer no ramo de negócios, Ferrão criou em 2010 a Sushi Station, uma máquina completa de fazer sushi e temaki composta por um total de 17 peças. O objetivo do conjunto é que qualquer profissional de cozinha possa produzir os alimentos de "forma rápida e higiênica" (confira o vídeo abaixo) .

"Consegui uma redução de 30% no custo do meu produto. Com isso, os pratos ficam mais acessíveis para os consumidores", acrescenta o empresário, que patenteou os produtos. Um combinado com 30 unidades de sushi, por exemplo, é vendido por R$ 28.

No mesmo ano de criação dos equipamentos, o empreendedor abriu a primeira unidade do restaurante Japa Express. Atualmente, a rede conta com oito unidades próprias no Estado de São Paulo — todas dentro dos supermercados da bandeira Carrefour.

Com a expansão dos negócios e sucesso da marca em São Paulo, Ferrão lançou seu projeto de franquia no final de fevereiro, com o objetivo de expandir as operações pelo Brasil.

Na avaliação do empreendedor, os diferenciais da marca são a máquina de fazer sushi e a parceria com o Carrefour. Segundo o projeto de franquia da Japa Express, todas as unidades devem estar localizadas no setor de peixaria da rede supermercadista.

-Leia também: Xuxa conta como abriu sua 1ª franquia no Brasil: "participei de cada detalhe"

"A ideia é que o franqueado economize água, luz, aluguel e condomínio [por estar alocado dentro do supermercado] e compre todos os insumos fresquinhos do Carrefour", explica o empresário, que planeja futuramente lançar franquias independentes.

Com investimento inicial de R$ 88 mil e retorno previsto em até 20 meses, a rede prevê fechar 2014 com 40 lojas pelo Brasil, calcula Ferrão.

"Há uma tradição muito bonita no Japão no que diz respeito à produção de sushis e temakis. No entanto, negócios são negócios. A empresa tem de ser lucrativa", conclui o inventor.  



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.