Tamanho do texto

Empresas como o Doutor Resolve e a Brigaderia nasceram de sonhos de jovens empreendedores e hoje faturam milhões; eles falam como conseguiram

Brasil Econômico

“Não interessa a idade. Se você acredita em alguma coisa, corra atrás disso”. A frase de Laércio Cosentino, presidente e fundador da Totvs, uma das maiores empresas de fabricação de softwares do mundo, é um incentivo para as pessoas colocarem em prática suas ideias e aproveitarem o bom momento da economia brasileira para fazer sucesso no mundo dos negócios. 

Leia:  Empreendedorismo no Brasil supera países desenvolvidos

Cases recentes de sucesso no país não faltam. Impulsionados pelo aumento da renda da população brasileira nos últimos anos, iniciativas como a rede de doces Brigaderia e a empresa de reformas e reparos para casas Doutor Resolve são hoje exemplos dos movimentos em empreendedorismo que vem ocorrendo no mercado brasileiro.

Laércio Cosentino, presidente da Totvs: momento do País é propício para colocar ideias em prática
AE
Laércio Cosentino, presidente da Totvs: momento do País é propício para colocar ideias em prática

Ambos os negócios têm pouco mais de dois anos de atuação, mas já faturam milhões. O principal deles é o Doutor Resolve, que nasceu das dificuldades do seu jovem fundador, David Pinto, de apenas 27 anos, em encontrar profissionais para reformar e fazer reparos em sua casa às vésperas de seu casamento. Diante desse problema, ele investiu R$ 30 mil para abrir uma loja que prestasse serviços residenciais, de alvenaria a instalação elétrica, hidráulica e pintura.

Saiba mais:  Brasileiro lança clube global de empreendedorismo

Por conta da demanda, hoje a Doutor Resolve é uma grande rede de franquias com 550 unidades espalhadas por todo o País e que deve fechar este ano com faturamento de R$ 350 milhões. “Todo mundo já passou pela dificuldade de encontrar um profissional bom e de confiança para reformar ou fazer reparos em sua casa”, diz o jovem empreendedor.

Do hobby ao negócio

Já a rede especializada em doces Brigaderia surgiu do passatempo de sua fundadora, Taciana Kalili, que gostava de fazer brigadeiros em casa nas horas vagas para amigos e familiares. Com o aumento da demanda, ela passou a vender seus doces e hoje a rede está abrindo sua oitava loja em shopping centers paulistanos, além de ter mais uma unidade no aeroporto de Guarulhos.

“O grande desafio do negócio é a logística, pois os produtos não são congelados e têm de chegar frescos para os consumidores”, diz Taciana. Fundada em 2010, a rede deve fechar este ano com faturamento em torno de R$ 13 milhões.

Ambos os jovens empresários estiveram no 3º Fórum de Empreendedores, que ocorreu no fim de semana, em Águas de São Pedro, no interior de São Paulo, com realização do Lide-Grupo de Líderes Empresariais.

No evento, estiveram presentes também empresários bem-sucedidos, que falaram sobre as iniciativas, curiosidades e desafios para colocar suas ideias no mercado. Entre eles está Salim Mattar, fundador da rede de locação de carros Localiza, que seguiu seus intuitos nos momentos mais cruciais da empresa. “Sempre pedi conselhos de familiares e amigos, e todos eram contra as iniciativas que acabei colocando em prática com a Localiza”, afirma o empresário, ao comentar sobre os principais momentos de decisão da empresa, que envolveu desde a sua própria abertura, no início da década de 70, além das iniciativas de expansão por meio de franquias e atuação fora do mercado brasileiro.

E se Laércio Cosentino diz que a idade não interessa para colocar sua ideia adiante no mercado, o maior exemplo disso vem de Waldemar Verdi, fundador do Grupo Rodobens. “No mundo dos negócios, eu ainda tenho muitas coisas para aprender”, diz o empre´sario, que tem 95 anos.

    Leia tudo sobre: empreendedorismo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.