Tamanho do texto

Procons e CVM iniciam série de boletins para orientar o consumidor que quer fazer o dinheiro render

O consumidor ganhou essa semana uma publicação com orientações sobre seus direitos e garantias como possível investidor. O boletim traz alertas para os cuidados que são necessários ao aplicar nos mercados de valores regulados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a xerife do mercado de capitais, como ações de companhias listadas em bolsa e cotas de fundos de investimento.

O “Boletim de Proteção ao Consumidor-Investidor” é o primeiro resultado da parceria, firmada em dezembro de 2010, entre o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça e a CVM, autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda.

José Alexandre Vasco, Superintendente de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM, diz que a ideia é atuar preventivamente, evitando que as pessoas caiam em golpes, esquemas de pirâmides, ou mesmo tomem decisões financeiras ruins. De acordo com ele, nos canais de reclamações e denúncias, a autarquia percebeu a necessidade de atuar mais fortemente. “As classes A, B e C cresceram, aumentando o universo de pessoas com recursos e dispostas a poupar.”

E Vasco conta que ainda há muitos golpes sendo aplicados, sobretudo fora do eixo Rio-São Paulo-Brasília. “Mais de 50% da população tem recursos para investir e muitas dessas pessoas não sabem que podem levar suas reclamações à CVM”, afirma. Ele desconfia, inclusive, que muitas reclamações financeiras cheguem aos Procons atualmente, sem que a CVM fique sabendo.

Nesta primeira edição, o consumidor que pretende investir nesse mercado encontra orientações sobre por onde começar e a que informações ficar atento. Novas edições serão lançadas periodicamente, cobrindo investimentos específicos. O boletim está disponível no site da CVM e também pode ser encontrado em todos os Procons.

Veja algumas dicas e alertas do boletim:

  • Quanto maior a rentabilidade, maior o risco
  • Fazer um orçamento familiar é o primeiro passo para planejar os investimentos
  • Sempre que receber uma oferta de aplicação, verifique se a pessoa está autorizada a oferecer títulos e se os mesmos de fato existem
  • Agentes autônomos também devem ter registro na CVM e possuir vínculo com a entidade que dizem representar
  • Agentes autônomos não podem receber dinheiro diretamente dos investidores
  • Não há garantia de rentabilidade, podendo haver perda do capital investido
  • Não acredite em promessas de ganhos fáceis ou muito elevados
  • Não leve em consideração boatos, dicas e informações de fontes não autorizadas a aconselhar investimentos
  • Investigue antes de investir

Saiba mais:

http://www.portaldoinvestidor.gov.br/