Brasil Econômico

Brasil Econômico

undefined
Marcos Santos/USP Imagens
A taxa média do cheque especial foi de 13,46% ao mês (a.m.), superior à do mês anterior

Uma pesquisa realizada pelo Procon-SP revelou nesta segunda-feira (25) que as taxas de juros dos cheques especiais no País sofreram a sexta alta consecutiva. Ainda de acordo com o estudo, das sete instituições financeiras que fazem parte da amostra, três elevaram a taxa de cheque especial e uma a do empréstimo pessoal.

A taxa média do cheque especial foi de 13,46% ao mês (a.m.), superior à do mês anterior, que foi de 13,37% a.m., representando uma alta de 0,09 ponto percentual. No caso de empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,56% a.m., superior à do mês anterior que foi de 6,48%, representando uma alta de 0,08 ponto percentual.

Os bancos que aumentaram a taxa do cheque especial foram: Banco do Brasil, que alterou de 12,40% para 12,61% a.m. , revelando uma variação positiva de 1,69% em relação à taxa de junho de 2016; Bradesco, que alterou de 12,89% para 12,99% a.m., variação positiva de 0,78%; e a Caixa Econômica Federal, que mudou de 2,59% para 12,88% a.m., variação positiva de 2,30%. Os demais bancos mantiveram sua taxa de cheque especial.

BANCO X EMPRÉSTIMO X CHEQUE ESPECIAL:

undefined
Divulgação/Procon-SP
Segundo pesquisa, três bancos aumentaram a taxa, que tem média de 13,46% ao mês


Empréstimo Pessoal

A taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,56% a.m., superior à do mês anterior que foi de 6,48%, representando uma alta de 0,08 ponto percentual.

A única modificação nessa modalidade foi a do Banco Safra, que elevou de 5,40% a.m. para 5,90%, acréscimo de 0,50 ponto percentual, uma variação positiva de 9,26% em relação a taxa de junho.

LEIA MAIS: Juros do cheque especial chegam ao recorde de 300,8% ao ano

De acordo com especialistas da Fundação Procon-SP, o consumidor deve tomar alguns cuidados ao contratar um empréstimo: analisar a real necessidade de crédito, antes de comprometer seu orçamento; utilizar o cheque especial somente em situações emergenciais e de curto prazo; se puder, escolher linhas de crédito mais baratas, como o crédito com desconto em folha (consignado); evitar empréstimos de longo prazo que embutem custos maiores e, finalmente, não assinar nenhum contrato sem antes estar ciente de todos os custos envolvidos na contratação.

O cuidado é imprescindível já que as taxas do cheque especial e de empréstimo pessoal estão em patamares elevadíssimos, como mostra a pesquisa.  O Procon-SP é um órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.

 *As informações são do Procon-SP e da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários