Tamanho do texto

Banco Central divulga ranking de reclamações contra instituições financeiras referente ao mês de maio de 2015

Banco Bradesco
Getty Images
Banco Bradesco

O Bradesco foi o banco com o maior número de reclamações no mês de maio, segundo ranking divulgado nesta segunda-feira (15) pelo Banco Central. Os dados são referentes a reclamações procedentes, quando há motivo. Não entram na conta as queixas injustificadas. Os dados do BC utilizados pela reportagem consideram números absolutos do ranking e não dados proporcionais ao número de clientes de cada instituição.

Das 1.185 queixas contra o Bradesco, 676 eram ligadas à restrição à realização de portabilidade de operações de crédito consignado por recusa injustificada. 

Leia mais:  Receita paga primeiro lote da restituição do Imposto de Renda 2015

Metade dos brasileiros já sofreu assédio no trabalho, aponta pesquisa

Calcule seus gastos após a PEC das Domésticas

A segunda instituição colocada, com o maior número de reclamações procedentes, é a Caixa Econômica Federal, que recebeu 733 queixas em maio, das quais 304 são referentes a irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços.

O maior número de reclamações do Banco do Brasil ao BC veio de débito em conta de depósito não autorizado pelo cliente, com 58 queixas.

O quarto colocado foi o Itaú Unibanco, que obteve 38 reclamações procedentes relativas a irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços. Já o Santander teve 177 reclamações procedentes, das quais 46 tratam de irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços.

Veja os bancos mais reclamados em maio, segundo ranking do Banco Central:

Bradesco – 1.185

Caixa – 733

Banco do Brasil – 236

Itaú Unibanco – 216

Santander – 177

Veja os serviços que os bancos não podem cobrar:


Segundo o BC, as reclamações procedentes são aquelas encerradas no período de referência (maio), nas quais foram verificados indício de descumprimento, por parte da instituição, de lei ou regulamentação cuja competência de supervisão seja do Banco Central do Brasil.

Bancos se posicionam

O Itaú Unibanco vem melhorando progressivamente sua colocação no ranking do Banco Central, resultado de um esforço empreendido ao longo de anos para simplificar processos e agilizar a solução de demandas. Nos primeiros cinco meses de 2015, o banco oscilou entre a 6ª e 7ª posição no ranking da autarquia, e há 11 meses não figura entre os cinco primeiros colocados.

"Temos consciência de que ainda há muito trabalho por fazer, e continuaremos empenhados em fortalecer o diálogo com os órgãos de defesa do consumidor para identificar novas oportunidades de aprimoramento dos nossos serviços e dessa forma alcançar a excelência no atendimento prestado aos nossos clientes", informa o Itaú Unibanco.

“O Santander ressalta que tem trabalhado continuamente na melhoria dos seus processos, ofertas e atendimento, com o intuito de torná-los mais simples e ágeis e, dessa forma, melhorar a satisfação e a experiência dos consumidores com o banco.”

O Banco do Brasil informa que apresentou, em maio de 2015, redução de 10% na quantidade de reclamações procedentes em relação à média dos últimos 12 meses. Em relação à abril de 15, essa queda foi de 9%. "O BB também possui a menor quantidade total de reclamações reguladas no Banco Central em relação aos seus principais concorrentes. Considerando ainda os bancos com mais de 10 milhões de clientes, o BB apresentou uma das melhores posições no ranking Bacen nos últimos 6 meses."

A Caixa Econômica Federal  informou que valoriza as informações e reclamações dos clientes e as utiliza como subsídio para a melhoria e a modernização de todos os seus processos de atendimento e revisa permanentemente seus serviços e produtos para garantir a satisfação dos seus clientes. A redução das reclamações e o aumento da solução em todos os canais, internos e externos, são prioridades do banco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.