Tamanho do texto

Eletrônicos são muito tributados entre os itens em alta no Natal, chegando até 70% de tributos, enquanto os alimentos mais consumidos na ceia têm em média 30% de encargos

O consumidor que vai se reunir com a família ou amigos no Natal e terá de comparecer à ocasião com presentes ou itens para a ceia irá desembolsar pelo menos 29,32% a mais do preço do perú, chester ou pernil, por exemplo, somente para pagar os tributos federais, estaduais e municipais. As informações estão em um estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

Os tributos também estão embutidos no preço de outros produtos muito consumidos nas festividades de fim de ano: panetone (34,63%); champagne ou o espumante (59,49%), e nozes (36,45%) entre outros itens que fazem parte do cardápio natalino.

Leia mais:  Lei de cotas para deficientes é desrespeitada por falta de fiscalização

Veja quais foram as maiores fusões e aquisições empresariais em 2014

Exterior: vitrines de Natal surpreendem e atraem consumidores para as lojas

Veja produtos muito tributados e que têm grande procura no Natal:

A mordida do Leão também será forte nos itens preferidos pelos consumidores para presentear seus entes queridos na data festiva, especialmente os produtos eletrônicos: os tributos chegam a 72,18% no valor do videogame, 44,94% no televisor, 44,75% na máquina fotográfica, 39,12% no preço do Ipad e 33,08% do preço do telefone celular.

Segundo João Eloi Olenike, presidente executivo do IBPT, além da incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), os itens importados estão no topo da lista das maiores cargas tributárias, em razão do Imposto de Importação.

“No caso dos tênis importados, o consumidor pagará 58,59% de tributos, sendo que a versão nacional têm carga de 44%. Já os consumidores que optarem por presentear com maquiagem pagarão 69,04% de tributos no item importado e 51,04% a mais pelo produto local, percentual que será revertido aos cofres públicos”, ressalta Olenike.