Tamanho do texto

O endividamento, de acordo com a entidade, é maior no grupo de famílias que ganham até dez salários mínimos (61,2%)

Agência Estado

Em relação a maio do ano passado (53,2%), o nível de endividamento subiu 3,9 pontos porcentuais
Getty Images
Em relação a maio do ano passado (53,2%), o nível de endividamento subiu 3,9 pontos porcentuais

Levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) em maio mostrou que 57,1% das famílias paulistanas estão endividadas. O número ficou estável ante abril, mantendo-se no nível mais alto desde junho de 2006. Em relação a maio do ano passado (53,2%), o nível de endividamento subiu 3,9 pontos porcentuais. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em números absolutos, o total de famílias endividadas ficou em 2,04 milhões em maio.

Calcule como chegar a R$ 1 milhão

Segundo a FecomercioSP, a estabilidade apontada em maio demonstra que o consumidor segue tendo dificuldades de equacionar suas finanças e ainda recorre a financiamentos para manter o nível de consumo. "Isso vem ocorrendo por causa do efeito inflacionário verificado nos últimos meses, principalmente nos preços dos alimentos, o que vem impactando negativamente o comprometimento da renda das famílias paulistanas."

O endividamento, de acordo com a entidade, é maior no grupo de famílias que ganham até dez salários mínimos (61,2%), enquanto nas famílias que ganham mais de dez salários mínimos, o endividamento é de 45,1%.

Veja também: Caderneta de poupança capta R$ 5,625 bilhões em maio, segundo BC

A pesquisa mostrou ainda que o principal tipo de dívida continua sendo o cartão de crédito (73,3%), seguido por carnês (17,5%), financiamento de carro (16,7%), crédito pessoal (11,5%), financiamento de casa (7,8%), cheque especial (6%), entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.