Tamanho do texto

Primeiro dia da Campanha Acertando Suas Contas atrai “viciado” em dívidas e outros endividados interessados em limpar o nome

Na última oportunidade para começar 2013 sem dívidas, a campanha Acertando Suas Contas atraiu em seu primeiro dia desde um declarado “viciado” em dívidas até um casal que conseguiu diminuir uma dívida de R$ 26.600 para menos de R$ 10 mil. O desconto, de 68,6%, está em linha com a estimativa dos organizadores, que é de que as pessoas que comparecerem ao evento obtenham abatimento de até 70% de seu saldo devedor.

Primeiro dia da campanha Acertando Suas Contas teve grande comparecimento popular; evento vai até sábado
Divulgação
Primeiro dia da campanha Acertando Suas Contas teve grande comparecimento popular; evento vai até sábado

A vigilante Mônica Medeiros foi quem conseguiu a redução em sua dívida – na verdade, de seu marido. “Ele tinha uma dívida de R$ 2.300 em 2008 com o Carrefour Serviços Financeiros. Não conseguiu pagar e, quando vimos, já estava em R$ 15.800. Negociamos e vamos pagar em 18 prestações de R$279”, explica. O outro débito, de R$ 10.800, foi contraído com a Caixa. No final, o casal vai pagar R$ 3.312. Ao todo, a dívida de R$ 26.600 caiu par R$ 8.334.

MaisEndividado em São Paulo tem última oportunidade de começar 2013 no azul

Como Mônica, outras pessoas devem conseguir renegociar suas dívidas até sábado, quando se encerra a campanha, promovida pela Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito. Segundo Fernando Cosenza, diretor de inovação e sustentabilidade da empresa, a expectativa é que entre 60 mil e 80 mil pessoas compareçam ao Memorial da América Latina, na Barra Funda, até o encerramento da campanha. “A educação financeira é o espírito da campanha”, explica. “Depois de renegociar a dívida, é preciso fazer um planejamento financeiro.”

Para facilitar a vida dos consumidores, a feira conta com um estande da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), onde eles são introduzidos a noções de educação financeira. “As pequenas emergências são o início de 70% dos casos de endividamento”, afirma Cosenza. Ele afirma ainda que uma poupança de R$ 200 resolve quase metade de todas essas eventualidades. “É aquele dinheiro que você precisa para comprar um remédio de R$ 80 ou para fazer uma pequena obra, mas não tem”, completa.

Também : Tem dívidas? Veja o que pagar primeiro

A mudança de comportamento, na opinião do executivo, é a fórmula do sucesso. Foi com esse objetivo que Propicio Santos Ferreira, segurança orgânico na Faculdade Oswaldo Cruz, foi à feira. “Meu vício sempre foi dívida. Gastava mais do que ganhava com material esportivo e para participar de competições”, afirma. Foi com a certeza de que tinha dívidas com o Bradesco Cartões que Propicio rumou para o Memorial nesta terça-feira.

Ao chegar lá, no entanto, a surpresa: não constava nenhum saldo devedor em nome do segurança junto a este segmento do banco. No entanto, ele descobriu que devia R$ 732 para uma escola de informática e idiomas, mas terá que negociar essa dívida junto à própria empresa, porque a feira é indicada para quem tem pendências com as empresas que têm estandes no evento, como Vivo, Carrefour Serviços Financeiros, Caixa, Santander, AES Eletropaulo, Itaú e Bradesco Cartões.

Leia : Estou endividado. E agora?

Por causa disso o analista de sistemas Kauê Oliveira saiu da feira sem conseguir resolver seus problemas. “Tenho uma dívida de R$ 250 com o Itaú devido a uma conta corrente que não fechei. (Os atendentes) Tentaram me redirecionar para a central de cobrança, mas a ligação caiu. Eles pegaram meus dados e ficaram de me ligar depois”, explica. Kauê também esteve no estande do Bradesco Cartões para renegociar uma dívida de R$ 1.700 que tinha com o banco, mas o local só atende aqueles que têm pendências no segmento de cartões.

Mas, como Mônica, muita gente conseguiu o empurrão necessário para começar 2013 no azul. O polidor Roberto Paula, que tomou um empréstimo com a Caixa para reformar sua casa, viu a dívida crescer para R$ 4 mil quando ficou desempregado. No final vai pagar R$ 3.440, com R$ 2 mil de entrada e 12 parcelas de R$ 120. “Valeu muito a pena, foi muito melhor do que negociar direto com o banco”, afirma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.