Tamanho do texto

Valor desses ativos atingiu US$ 274,6 bilhões; estoque de investimentos brasileiros diretos no exterior cresceu 15% no ano

O Banco Central divulgou há pouco números da pesquisa anual sobre capitais brasileiros no exterior. Ao fim de 2010, o valor desses ativos atingiu US$ 274,6 bilhões, o que significou expansão de 23% em relação a 2009.

O levantamento é realizado desde 2001 e inclui investimentos e outros ativos detidos por pessoas físicas ou jurídicas com saldo igual ou superior a US$ 100 mil. A declaração, nesses caso, é obrigatória.

Do valor total apurado, destaca-se o estoque de investimentos brasileiros diretos no exterior (IBD), que cresceu 15% no ano e fechou 2010 em US$ 189,2 bilhões. Os investimentos em carteira atingiram US$ 37,6 bilhões, e os derivativos, US$ 797 milhões.

O estoque dos demais investimentos totalizava US$ 47 bilhões no fim do ano passado. O estoque de IBD manteve a tendência de elevação verificada nas edições anteriores da pesquisa. A comparação com o levantamento de 2001 mostra que o IBD, que ao fim daquele ano totalizava US$49,7 bilhões, mais que triplicou .

Para o BC, isso evidencia "a sólida e acelerada internacionalização das empresas de capital brasileiro". A participação direta de residentes no capital de empresas no exterior somou US$ 169,1 bilhões, variando 27,7% na comparação com 2009.

Essa é a parcela do IBD que reflete a efetiva participação do investidor na gestão do empreendimento, lembra o BC. Em relação ao saldo total do IBD ao fim de 2010, essas participações corresponderam a 89,3%, proporção maior do que a registrada no ano anterior, de 80,5%.

A parte do IBD referente a participações diretas no capital concentra-se em atividades de extração de minerais metálicos (27,4% do total), e em serviços financeiros e atividades auxiliares (38,2%).

O número de declarantes ao CBE em 2010 aumentou de 18,6% em relação a 2009 e ultrapassou 20 mil. Fizeram a declaração 17.879 pessoas físicas e 2.191 empresas. Em comparação ao primeiro CBE, em 2001, o número de declarantes aumentou 72,1%.

As pessoas jurídicas declararam ativos de US$ 228,9 bilhões, 83,4% do total, enquanto as declarações de pessoas físicas totalizaram U$ 45,6 bilhões.