Tamanho do texto

Segundo balanço da Receita Federal, apenas 7,1 milhões de pessoas físicas já enviaram sua declaração; deixar para a última hora te coloca em fila de espera com milhares de contribuintes

A Receita Federal recebeu apenas 7.125.775 declarações de Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) até as 17h desta quinta-feira (2). O número representa apenas 25,5% do total esperado, de 27,5 milhões declarações. A restituição do Imposto de Renda obedece uma fila de espera, portanto, tecnicamente quem ainda não entregou o documento ao Fisco tem uma concorrência de 20,3 milhões de contribuintes.

O prazo para entrega da declaração do IR 2015 começou em 2 de março e termina no dia 30 de abril. A entrega da declaração de 2015 poderá ser feita apenas por meio do programa de transmissão Receitanet, disponibilizado no site da Receita Federal.

Leia mais:  Veja cobertura completa do Imposto de Renda

Veja dúvidas e respostas: Entenda: tipos de declarações e despesas dedutíveis

Contribuinte que deixa de pagar Imposto de Renda pode ter nome incluído no SPC

Como deduzir gastos com empregada doméstica no Imposto de Renda

Quando é melhor fazer a declaração em conjunto e individual

Gastos com instrução em intercâmbio podem ser deduzidos do Imposto de Renda?

Posso deduzir aula de inglês no IR? Veja respostas a essa e outras dúvidas

Veja como fica a nova tabela do IR 2015

Papo na Redação: menos de 25% dos contribuintes fizeram declaração; veja dicas

Também é possível a entrega  online, para quem tem certificado digital (assinatura para proteger transações eletrônicas), ou por meio do serviço Fazer Declaração, para tablet e smartphone. Este ano é o primeiro em que está disponível a opção de entrega online, sem necessidade de baixar o programa da Receita. As entregas nessas duas modalidades têm algumas restrições. Por exemplo, declarantes que tenham recebido rendimentos do exterior ou tenham tido ganhos de capital não podem utilizá-las.

Está obrigado a apresentar declaração este ano quem recebeu, em 2014, rendimentos tributáveis superiores a R$ 26.816,55 ou rendimentos isentos – não tributáveis, ou tributados somente na fonte – cuja soma seja superior a R$ 40 mil; quem obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência de imposto, ou fez operações em bolsas de valores, de mercadorias e futuros; e quem teve ganhos ou tem bens ou propriedade rurais de acordo com os valores estabelecidos pela Receita.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.