Tamanho do texto

Índice registrou crescimento de 1,51% no acumulado do ano, enquanto inflação esperada para o IPCA (IBGE) é de 6,79%

O preço médio anunciado do metro quadrado teve queda real de 4,94% em 2015 (de janeiro a julho), segundo o Índice FipeZap, que acompanha o preço de venda dos imóveis em 20 cidades brasileiras. Isso porque no acumulado do ano houve um crescimento de 1,51%, valor bastante inferior ao da inflação esperada para o IPCA (IBGE) no mesmo período: 6,79%.

De acordo com o levantamento, julho foi o sétimo mês consecutivo em que a variação foi menor do que a inflação nos últimos 12 meses, configurando novamente queda real de preços. O movimento, segundo o economista da Fipe Bruno Oliva, é natural devido às condições econômicas do País.

Especialista não acredita em retomada de vendas nos próximos meses ou até em 2016
Thinkstock/Getty Images
Especialista não acredita em retomada de vendas nos próximos meses ou até em 2016

"Não é razoável supor que os preços iriam subir para sempre no mesmo nível que vinham subindo. O desemprego começou a subir, os juros também, ao mesmo tempo em que a renda começou a cair e os bancos se tornaram mais seletivos na concessão de crédito", explica.

Retomada do crescimento nas vendas?

Em maio, o FipeZap já havia divulgado pesquisa em que mostrou o maior poder de barganha do comprador na hora de negociar o imóvel. O resultado do mês foi recorde no valor de redução de propostas (7,5%) – o maior desde a série histórica com início em dezembro de 2013.

Em tese, a queda de preços e a maior capacidade de pechincha seriam dois bons motivos para que os compradores voltassem em breve ao mercado imobiliário. Apesar disso, Oliva não acredita que essa seja uma tendência plausível. "Acho difícil haver uma retomada nas vendas mesmo no ano que vem, pois num momento de crise as famílias acabam pisando no freio".

Leia mais: Desconto na compra de imóvel bate recorde e afasta investidor

O valor anunciado do metro quadro médio das 20 cidades em julho/2015 foi de R$ 7.614. A cidade com o metro quadrado mais caro continua sendo o Rio de Janeiro (R$10.631), seguida por São Paulo (R$ 8.602). Os dois municípios que apresentaram os menores preços foram Contagem (R$ 3.568) e Goiânia (R$ 4.183).

Exceção é Florianópolis

Quinta colocada no ranking do metro quadrado mais caro do País, Florianópolis foi a única das cidades brasileiras a registrar um aumento nominal no valor dos imóveis acima da inflação em 2015. No primeiro semestre, a capital catarinense teve um crescimento de 9,24%, batendo a meta de inflação em  2,45%.

Veja também:

Carros  usados se destacam na crise; veja os mais vendidos (1º semestre - 2015)




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.