Tamanho do texto

Imóveis do Minha Casa Minha Vida ou que forem adquiridos via FGTS não sofreram repasse de juros de mercado

Em busca do sonho de morar na casa própria, muita gente foi atraída neste sábado (25) ao pavilhão de exposições do Parque Anhembi, na zona norte da cidade de São Paulo, onde ocorre a 11ª edição do Feirão da Caixa Econômica Federal, com mais de 80 mil imóveis novos e usados à venda.

movimentação de público foi grande no Anhembi, na zona norte de São Paulo
Agência Brasil
movimentação de público foi grande no Anhembi, na zona norte de São Paulo

Leia mais

Cinco armadilhas que ameaçam quem vai comprar um imóvel na planta

10 dicas para valorizar seu imóvel

O foco dos negócios é atender o público com renda familiar até R$ 5,4 mil por mês, compatível com o Programa Minha Casa, Minha Vida, e também os interessados em comprar o primeiro imóvel financiado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), informou o superintendente regional da Caixa, José Pavanelli.

Segundo ele, para essas duas modalidades não houve repasse do aumento dos juros que afeta o mercado. A taxa foi mantida em 4,5% ao ano para valor máximo de empréstimo até R$ 190 mil. Metade das ofertas são de empreendimentos voltados para este perfil de público. Mas as construtoras e incorporadoras também imóveis para quem pode pagar mais.

Uma das vantagens desse gênero de feira, lembrou Pavanelli, é que em um mesmo local os clientes conseguem fechar todo o ciclo burocrático dos negócios, porque além dos pontos de venda, tem também o agente financeiro e o cartório.

O que os clientes buscam

Acompanhada da sogra, a jovem Carla Alves, de 24 anos, aguardava ansiosa pela sua vez de ser atendida, em um dos estandes, já para saber a resposta da avaliação de crédito. “Eu estou comprando um apartamento em Guaianazes, com prestação maior do que pago pelo aluguel hoje, mas vai ser meu”.

Ela informou que o imóvel, localizado na zona leste da capital paulista, tem área de 45 metros quadrados e está sendo vendido por R$ 180 mil, com prestação mensal de R$ 700 – um pouco acima do valor que paga pelo aluguel, de R$ 500.

Em um dos estandes, o potencial comprador podia usar óculos com tecnologia que permite passeio virtual ao imóvel ofertado. Algumas pessoas ouvidas pela Agência Brasildemonstraram, no entanto, cautela, e disseram que estavam apenas obtendo informações para analisar, em casa, se valeria a pena entrar em financiamento de longo prazo.

Além disso, um fator bastante mencionado foi a localização. “Se a gente não conhece a região é um tiro no escuro”, apontou Marcio Adriano, de 35 anos. Ele revelou que preferiria comprar uma casa, mas por estar muito caro, vai ter de se contentar com um apartamento.

Se, de fato, for fechar negócio, o candidato a mutuário também terá de trocar a região que queria, a zona sul, perto de Interlagos. Isto porque, conforme explicou, as ofertas que cabiam no seu bolso foram encontradas apenas em locais fora da capital, como Diadema e Osasco.

Maria do Socorro Soeiro, de 63 anos, contou ter encontrado o imóvel perfeito para ela e o filho de 28 anos. Ela aguardava a confirmação da liberação do crédito para adquirir um apartamento, com lazer completo, no valor de R$ 163 mil, em Itaim Paulista, financiamento pelo Minha Casa, Minha Vida, e prestação mensal de R$ 1,2 mil.

O feirão, que ocorre simultaneamente também no Recife e em Belém, termina neste domingo (26), e até junho será levado a mais dez cidades. Os interessados podem obter informações em todas as agências da Caixa ou pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (0800 726 0101). O atendimento está disponível 24 horas por dia, inclusive nos fins de semana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.