Tamanho do texto

Governo obriga instituições a substituírem cédulas marcadas quando não tiverem sido furtadas

O Banco Central publicou nesta quinta-feira novas normas deixando claro aos correntistas brasileiros que, quando sacarem notas manchadas em caixas eletrônicos ou nos bancos, poderão trocá-las. A troca da cédula deverá ocorrer imediatamente pelo banco, que pode exigir comprovantes de saque, caso ele seja feito em caixa eletrônico fora das agências.

Divulgação
Pela previsão, o portador da nota não teria direito ao ressarcimento à cédula danificada, exceto se sacado no banco ou no caixa eletrônico. A falta de explicitação do tema, porém, causou confusão no mercado, o que exigiu o esclarecimento feito hoje pela Circular 3.540 do Banco Central.

O Banco Central diz, em nota, que as medidas adotadas “têm como objetivo preservar o interesse do cidadão e contribuir para inibir furtos e roubos a caixas eletrônicos, ao dificultar a circulação de notas roubadas e furtadas”.

Segundo a assessoria de imprensa, o Banco Central não está voltando atrás da medida adotada nos últimos dias. Segundo a assessoria, a recomendação anterior já era de os correntistas procurarem as instituições financeiras se sacassem cédulas manchadas, o que fica mais claro com essa norma editada hoje.

Na semana passada, o Conselho Monetário Nacional aprovou regulamentação determinando que as notas manchadas não terão mais validade. O governo estimava que 75 mil notas manchadas estavam em circulação no país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.