Tamanho do texto

Resultado reflete a continuidade do crescimento do emprego e do crescimento econômico, segundo o ministro Garibaldi Alves

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves
Agência Estado
O ministro da Previdência, Garibaldi Alves
O Regime Geral de Previdência Social (RGPS) acumulou déficit de R$ 19,779 bilhões no primeiro semestre do ano, com retração real de 18,9% em relação aos R$ 24,383 bilhões negativos de igual período de 2010.

Para o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, o resultado reflete a continuidade do crescimento do emprego, em uma economia que "não teve a desaceleração falada", como governo e mercado financeiro apontavam para o início de 2011.

Para o ano, ele mantém a previsão de que o déficit previdenciário nominal dos trabalhadores do setor privado ficará em torno de R$ 40 bilhões, inferior aos R$ 44,3 bilhões do exercício anterior. Com o mercado de trabalho positivo, a arrecadação previdenciária teve variação acima do crescimento das despesas com aposentados.

A arrecadação com as contribuições somou R$ 111,431 bilhões, alta real (deflacionada pelo INPC) de 9,3%, ante os R$ 101,966 bilhões do primeiro semestre anterior. Já os gastos com benefícios de aposentados e pensionistas, entre janeiro e junho deste ano, acumularam R$ 131,211 bilhões, ou 3,8% reais acima dos R$ 126,35 bilhões de igual intervalo do ano passado.

Somente no mês de junho, a Previdência foi deficitária em R$ 1,903 bilhão, com queda real de 35,8% sobre junho de 2010 (R$ 2,967 bilhões). A arrecadação previdenciária líquida no mês somou R$ 19,612 bilhões ou 10,8% superior aos R$ 17,7 bilhões de igual junho anterior. Ante despesas de R$ 21,515 bilhões, que cresceram 4,1% sobre R$ 20,674 bilhões anteriores, informou o ministro Alves.