Tamanho do texto

Em duas décadas, o CDI teve um rendimento de 631,7%

Reuters

Plano Real completa 20 anos no dia 1º de julho
Agência Brasil
Plano Real completa 20 anos no dia 1º de julho

Não é segredo que no Brasil historicamente os juros altos sempre fizeram dos títulos públicos federais a opção de investimento mais segura e rentável. Mas mesmo com a gradual estabilização da economia após o Plano Real, esse cenário não mudou, segundo um levantamento divulgado nesta sexta-feira (27) pela consultoria Economatica.

Desde a implementação do plano, que completará duas décadas na próxima terça-feira (1º), o rendimento do CDI (certificado de depósito interbancário, referência para investimento em títulos públicos) foi de 631,7%, ajustado pelo índice de inflação IPCA.

Bem atrás, o Ibovespa, principal índice doméstico de ações, apurou alta de 221%; seguido pela caderneta de poupança, com 103,2%; ouro, com 69%. O dólar, medido pela cotação do Ptax para venda, caiu 52%.

Considerado apenas o mercado doméstico e a inflação, segundo a Economatica, as ações com maior valorização no período foram Ambev ON, com alta de 4.873%, seguida por Souza Cruz (+4.263%), Guararapes (+3.237%) Itaú PN – hoje Itaú Unibanco – (+2.672%) e Gerdau Metalúrgica PN (+1.934%).

Na outra ponta, os piores desempenhos têm nomes como Light, com queda de 82,3%; Eletrobras ON (-62,5%); e Oi PN (-55,8%), numa lista liderada por Inepar e Coteminas.


    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.