Tamanho do texto

Campanha do serviço de comparação de preços JáCotei aponta qual seria o preço dos produtos sem a carga tributária em cerca de 140 categorias buscadas na internet

Vidro de perfume de R$ 274,55 passaria a custar R$ 59,22 sem impostos
Thinkstock/Getty Images
Vidro de perfume de R$ 274,55 passaria a custar R$ 59,22 sem impostos

Se não houvesse mais impostos no Brasil, um perfume importado com o preço mínimo de R$ 274,55 passaria a custar R$ 59,22. A redução representa uma carga média de 78,43% apenas em tributos, como mostra um levantamento do serviço de comparação de preços Já Cotei lançado esta semana. Até a segunda semana de agosto, o site prevê exibir o peso dos impostos em cerca de 140 categorias buscadas na internet.

Segundo Antonio Coelho, CEO do site, a empresa decidiu criar o recurso com base na estimativa de que o brasileiro trabalha ao menos cinco meses por ano para pagar impostos ao governo. A onda de protestos pelo Brasil nas últimas semanas também inspirou a ação, conta o executivo. “É possível, além de comparar os preços cobrados, conhecer o verdadeiro custo do Estado ao cidadão”.

O brasileiro que comprar uma televisão de LED full HD de 42 polegadas, por exemplo, pagará 44,94% a mais em virtude dos impostos: o produto mais barato, de R$ 1.709,91, passaria a custar R$ 941,48 sem a carga tributária. Já o televisor mais caro buscado no JáCotei – ao custo de R$ 2.573,07 – sairia por R$ 1.416,73. Um refrigerador, por sua vez, fica em média 46,98% mais caro graças aos tributos.

Leia mais: Quase 76 mil adotam cálculo aproximado de impostos na nota fiscal

A categoria livros está entre as menos onerosas ao consumidor: o título "Cemitério de Praga", escrito por Humberto Eco, passaria a custar de R$ 32,40 para R$ 27,37, descontados os impostos, na melhor cotação encontrada.

Os impostos foram calculados pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), que incluiu a soma aproximada da carga tributária sobre os principais produtos e serviços comercializados no Brasil. O arquivo com o cálculo foi disponibilizado gratuitamente às empresas para cumprir a lei 12.741/2012, que estabelece desde o dia 10 de junho a exibição dos impostos na nota fiscal do consumidor.