Tamanho do texto

O total de endividados ficou em 58,9% em setembro, ante 59,8% em agosto, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio

Agência Estado

O número de famílias endividadas no mês de setembro caiu, após três meses consecutivos de alta, mostra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), nesta quinta-feira.

O total de endividados ficou em 58,9% em setembro, ante 59,8% em agosto. O endividamento considerado na pesquisa envolve cheque pré-datado, cartão de crédito, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguros.

Segundo a pesquisa, a queda do número de famílias endividadas ocorreu em todas as faixas de renda pesquisadas. Para a faixa com renda inferior a dez salários mínimos, o porcentual de famílias com dívidas baixou para 60,5% em setembro, de 61,1% em agosto.

Para as famílias com renda acima de dez salários mínimos, o porcentual de famílias endividadas passou de 53,6% para 51,7%, no mesmo período.

Recuou também o porcentual de famílias com dívidas ou contas em atraso, tendo passado de 21,3% em agosto para 19,1% em setembro.

Já o porcentual de famílias sem condições de pagar seus débitos ficou estável em 7,1% do total. "As políticas de estímulo ao crédito e à aquisição de bens duráveis continuam exercendo impacto moderado sobre o número de famílias endividadas, que continua inferior ao observado em 2011", disse a economista da CNC Marianne Hanson, em nota.